Empresas de construção atingem o maior valor de mercado em 5 anos

Valor de incorporadoras listadas na bolsa de valores chegou a 42,4 bilhões de reais em novembro, alta de 17,8% ante outubro

São Paulo – A saúde financeira das empresas de construção listadas na bolsa de valores brasileira está melhorando em diversas frentes, como o lucro e o nível de endividamento, e, em conjunto, essas companhias atingiram em novembro o seu maior valor de mercado desde pelo menos 2014. É o que mostra levantamento feito pela consultoria Economatica com base nos dados de 11 incorporadoras e construtoras de capital aberto no país, como Cyrela, Eztec, Helbor e MRV.

Em 21 de novembro, o valor de mercado consolidado somado dessas empresas era de 42,4 bilhões de reais. É um aumento de 17,8% em apenas um mês (em outubro esse total era de 36 bilhões de reais) e o maior valor desde pelo menos dezembro de 2014 (17 bilhões de reais), período verificado pela Economatica.

Os valores não estão atualizados pela inflação. O levantamento levou em consideração  as companhias do ramo de construção com balanços trimestrais disponíveis para todo o período de dezembro de 2014 a setembro de 2019.

No conjunto, a receita líquida operacional dessas empresas somou 4,2 bilhões de reais no terceiro trimestre de 2019 e desde o último trimestre de 2018 se mantém acima dos 4 bilhões de reais – faixa que desde dezembro de 2015 não era mais sido ultrapassado.

Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado (3,25 bilhões de reais), a receita líquida do setor apresenta um aumento de 30%, embora, ante o trimestre imediatamente anterior (4,39 bilhões de reais), tenha caído 3,4%.

De volta ao lucro

O lucro das incorporadoras segue crescendo e o setor completou, em setembro, o quarto semestre no azul, depois de ter ficado no prejuízo por oito dos nove trimestres entre setembro de 2016 e setembro de 2018. No terceiro trimestre de 2019, as 11 incorporadoras da lista somaram, juntas, lucro líquido de 434 milhões de reais, alta de 30,8% ante o segundo trimestre (332,1 milhões de reais).

Foi o melhor resultado desde dezembro de 2015, quando o lucro líquido total registrado, em valores da época, foi de 631 milhões de reais.

A rentabilidade sobre o patrimônio, medida pelo ROE (Retorno sobre o Patrimônio Líquido), foi de 7,02% no terceiro trimestre deste ano e ficou positiva pela primeira vez desde o terceiro trimestre de 2016, quando havia sido ide 1,72%. O ROE é a medida que verifica quanto o lucro líquido gerado representa do total do patrimônio líquido das empresas, considerando os valores acumulados em quatro trimestres.

O melhor ROE registrado pelo conjunto das incorporadoras nos últimos cinco anos foi o do terceiro trimestre de 2014, quando a rentabilidade ficou em 12,07%. O pior resultado registrado foi o do terceiro trimestre de 2017, quando o prejuízo chegou a -8,24% do patrimônio líquido total.

Trisul, com ROE de 15,06%, e a MRV, com 14,19%, tiveram os melhores indicadores de rentabilidade do setor, considerado o acumulado de quatro trimestres até setembro deste ano. Os piores desempenhos do período, na outra ponta, ficaram com a Tecnisa e a a CR2, com ROE de -28,8% e -11,3%, respectivamente.

Endividamento em queda

A dívida líquida (que leva em consideração a dívida bruta total das empresas subtraída do volume de dinheiro disponível em caixa) caiu pelo nono trimestre consecutivo e atingiu 5,28 bilhões de reais, o menor valor desde 2014.

O caixa das empresas observadas, no total, somava 6,5 bilhões de reais ao fim de setembro de 2019, o maior valor desde o trimestre encerrado em março de 2017 (6,6 bilhões de reais).

Veja a seguir a evolução da receita e do lucro ou prejuízo líquidos de todas as empresas consideradas na mostra pela Economatica:

Receita líquida operacional trimestral, em R$ milhões

Empresa dez-14 dez-15 dez-16 dez-17 jun-18 set-18 dez-18 mar-19 jun-19 set-19
MRV 1.127.662 1.208.423 1.066.534 1.372.225 1.317.133 1.351.812 1.520.844 1.508.589 1.558.510 1.568.986
Cyrela Realt 1.530.538 1.030.554 918.764 808.800 639.539 724.825 1.331.171 826.236 936.622 934.759
Direcional 551.144 398.013 254.553 169.575 270.902 309.919 393.071 348.800 374.504 367.239
Even 605.079 661.178 394.155 403.772 377.120 395.071 365.212 483.821 591.564 357.974
Helbor 527.129 333.777 199.021 120.513 98.043 61.699 393.345 232.222 335.969 272.818
Trisul 93.743 88.007 71.499 124.773 122.888 153.362 148.008 180.975 184.336 218.405
Eztec 285.470 224.390 151.437 85.723 68.873 87.007 144.475 146.370 161.833 187.589
JHSF Part 151.824 136.543 79.469 84.002 122.663 136.160 136.890 125.041 140.538 184.543
Rni 175.017 133.108 76.103 72.954 41.107 57.289 34.109 78.901 65.985 79.308
Tecnisa 339.729 143.735 77.796 70.302 57.775 -26.346 85.354 112.428 47.305 74.614
Cr2 4.193 8.392 3.624 5.496 1.468 795 2.089 28.006 83 378

Lucro líquido trimestral, em R$ milhões

Empresa dez-14 dez-15 dez-16 dez-17 jun-18 set-18 dez-18 mar-19 jun-19 set-19
MRV 102.855 139.928 141.659 180.053 166.080 174.057 190.509 188.653 190.405 160.115
Cyrela Realt 150.023 98.021 30.933 48.762 -28.437 -120.753 116.111 48.409 113.835 104.382
JHSF Part 2.340 87.224 -206.538 22.245 7.227 118.580 67.465 5.514 17.612 94.120
Eztec 131.611 104.090 69.038 25.288 14.715 33.857 43.541 17.303 94.909 61.239
Trisul 3.390 6.285 1.971 20.362 17.397 21.098 20.559 26.560 27.213 42.577
Direcional 60.735 30.824 -64.811 -61.884 -3.778 -83.821 18.197 20.414 25.900 25.951
Even 67.522 -10.484 -26.064 -234.869 -30.378 -12.360 -92.299 50.079 22.047 16.489
Rni 15.371 3.141 -55.647 -19.030 -9.119 2.521 -7.747 -9.817 2.340 3.821
Cr2 -14.825 -8.343 -43.677 1.290 -1.449 -2.997 -5.727 -6.063 -1.055 -1.327
Helbor 57.148 12.313 -83.009 -106.317 -98.264 -129.258 -45.562 -39.279 -16.999 -20.998
Tecnisa 7.695 168.419 -251.536 -175.209 -85.826 -73.367 -64.187 -2.098 -144.140 -52.054