Empresas brasileiras estão mais maduras, diz Deloitte

“O Brasil está se recuperando e as empresas estão mais maduras”, afirmou Juarez Lopes de Araújo

São Paulo – Para Juarez Lopes de Araújo, 2014 foi um ano complicado. Segundo o presidente da Deloitte, empresa de auditoria e consultoria, a Copa do Mundo, eleições e os muitos feriados atrapalharam os negócios no ano. Mesmo assim, a empresa cresceu 12% no ano e espera crescer igualmente em 2015.

Segundo ele, as empresas brasileiras estão mais maduras e mais preocupadas com melhorar seus processos, a gestão e governança corporativa. “O Brasil está se recuperando e as empresas estão mais maduras”, afirmou.

O crescimento de dois dígitos ao ano tem sido marca do mandato de Araújo. Há seis anos, ele entrou na Deloitte para fazê-la crescer. A empresa, que já era líder brasileira em auditoria, decidiu diversificar os serviços oferecidos às empresas. A auditoria correspondia a 50% do faturamento há seis anos e hoje, a fatia é de apenas 30%.

Uma das áreas em pleno crescimento – e que será destaque em 2015 – é a internacionalização. Por conta da desvalorização do real e de ativos brasileiros, há muitas empresas estrangeiras querendo investir no Brasil que procuram a Deloitte para mediar o processo.

Outro aspecto que crescerá ainda mais em 2015 é consultoria para aumentar a produtividade. “Estamos perdendo feio na guerra da produtividade”, afirmou Araújo. Segundo ele, muitas empresas brasileiras ainda não estão preparadas para fazer mudanças importantes, como automação de processos.

Terceirização de serviços, o Outsourcing, é outro dos setores da Deloitte que estão crescendo. Segundo Araújo, “as empresas estão reduzindo custos e pessoal e buscando terceirizar muitos processos”, como contabilidade.

O setor, que antes era incipiente, hoje tem mais de mil funcionários, dos seis mil que trabalham no Brasil para a Deloitte. Em 2014, o segmento cresceu 15% e deve crescer 20% em 2015.