Empresa voltada para classes A e B também foca em prevenção

A necessidade de investir em prevenção independe do porte do plano de saúde e do segmento em que ele atua. A Care Plus, por exemplo, tem 40 000 associados, 30 vezes menos do que a Intermédica. O segmento de público focado também é outro. Enquanto a Intermédica atua mais fortemente nas classes populares, C e D, a Care Plus está na outra ponta da pirâmide, as classes A e B.

Apesar dessas diferenças, ambas centram esforços em ações de prevenção com o mesmo objetivo: gerir melhor os recursos.

Para isso, a Care Plus, que existe desde 1992, há quatro anos criou o Personal System, que é um modelo que tenta reproduzir, com adaptações, a figura do médico de família, que acompanha o histórico do paciente.

Com base no cadastro preenchido pelos usuários ao ingressar no plano de saúde e nos dados de pagamento a médicos, laboratórios e hospitais, a empresa vai mapeando quais são as pessoas que têm doenças crônicas ou apresentam tendência a desenvolvê-las.

Se uma determinada pessoa está fazendo exame de colesterol freqüentemente, por exemplo, há grandes chances de ela ter hipertensão, obesidade ou diabete. É sinal de alerta. É com esse grupo de usuários que é desenvolvido um programa de prevenção praticamente corpo-a-corpo, para monitorar se essas pessoas estão se tratando adequadamente. Isso quer dizer que elas são convidados a passar por um chek-up na clínica própria da Care Plus. Além da avaliação médica em si, serão analisados os hábitos alimentares da pessoa e ela receberá orientação a esse respeito. Chegamos inclusive a atender pacientes junto com a sua empregada doméstica, para orientá-la a como tornar mais saudável o cardápio da família , diz o diretor comercial da Care Plus, Herald Landy.

O paciente também é avaliado por um profissional de educação física. Muitas vezes, o problema não é a ausência de exercícios, mas a escolha de um esporte inadequado, como o tênis para pessoas obesas, o que acaba causando uma série de problemas nas articulações.

Segundo estimativas da Care Plus, 16% dos usuários do plano seriam potenciais clientes do Personal System. Hoje, cerca de 30% deles participam do programa. Não é todo mundo que está disposto a dar a devida atenção que a sua saúde merece , diz Landy.

O investimento da empresa nesse trabalho preventivo é pesado: cerca de 1 milhão de reais por ano. Mas traz resultados a médio e longo prazo. A estimativa da Care Plus é que, entre as pessoas que participam do Personal System, a freqüência de utilização do plano cai cerca de 25%.

Como o médico que acompanha o paciente já conhece o seu histórico e o encaminha a um especialista somente quando necessário, a redução nas consultas chega a 40%. A queda nos exames fica em torno de 20%.

Investir em prevenção é caro no início, mas essencial para tornar uma empresa de saúde saudável , diz Landy.

Em ações realizadas em parceria com as empresas clientes (a Care Plus só atua no mercado corporativo), o plano de saúde também sempre busca incentivar a importância da prevenção. Um exemplo foi a ação promovida com o departamento de Recursos Humanos da agência de publicidade NewcommBates para comemorar, em março deste ano, o Dia Internacional da Mulher. Todas as funcionárias receberam um espelho com um convite onde estava escrita a seguinte frase: Tem coisas que nem a plástica esconde . Era um convite para participar de uma consulta individual com um médico que estaria por três dias na agência ensinando a como fazer o auto-exame de câncer de mama, além de passar orientações sobre como lidar com os sintomas da TPM (tensão pré-menstrual). Foi um sucesso enorme , diz Isabel Arias, diretora e RH da NewcommBates.