Empresa de Eike Batista obtém licença para porto no Rio

Terminal portuário deve movimentar 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano

A empresa LLX Logísitica, controlada pelo grupo EBX do empresário Eike Batista, obteve licença ambiental da Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro para a construção do Porto Sudeste no município de Itaguai, a 80 da capital fluminense.

O porto deve começar a ser construído no segundo semestre deste ano, com a conclusão prevista para 2011. De acordo com o comunicado divulgado nesta segunda-feira (13/04) pela companhia, o terminal portuário terá capacidade para movimentar até 50 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.

O porto está sendo desenvolvido para ser um terminal privativo de uso misto com profundidade de 20 metros – o que permite o tráfego de navios bastante carregados. A expectativa é de que o porto movimente a produção da minas da MMX, empresa também controlada pelo grupo EBX, e de outros produtores de minério da região do quadrilátero ferrífero de Mina Gerais.

Para o diretor presidente da LLX, Ricardo Antunes, o projeto será uma excelente alternativa para as empresas mineradores do quadrilátero ferrífero que não possuem ainda uma solução portuária integrada.

A LLX anunciou nas últimas semanas uma série de movimentos que devem ajudar o projeto do porto Sudeste a deslanchar. A empresa primeiro conseguiu uma injeção de capital do BNDESPar.

Depois o BNDES aceitou estudar a liberação de até 75% do total de 1,7 bilhão de reais necessários para a construção do porto. Além disso, a LLX também contratou um assessor financeiro para encontrar um possível comprador para o projeto.

Às 11h10, as ações da LLX (LLXL3) subiam 0,47%, para 2,14 reais.