Empregados da Samarco aprovam prorrogar suspensão de contratos

A empresa destacou que os empregados que vão continuar em "layoff" terão os direitos atuais garantidos, recebendo o valor correspondente à sua renda líquida

Rio de Janeiro – Os funcionários da mineradora Samarco aprovaram em assembleias realizadas nesta segunda-feira, pelos sindicatos Metabase, de Mariana (MG), e Sindimetal, do Espírito Santo, a prorrogação por mais cinco meses da suspensão dos contratos de trabalho, de 1º de novembro de 2017 a 31 de março de 2018.

A empresa destacou que os empregados que vão continuar em “layoff” terão os direitos atuais garantidos, recebendo o valor correspondente à sua renda líquida mensal. O atual período de layoff teve início em 1º de junho deste ano.

A Samarco interrompeu suas atividades após o rompimento de uma de suas barragens, há quase dois anos. O desastre causou 19 mortes, centenas de desabrigados e poluiu o Rio Doce, que deságua no mar do Espírito Santo.

Desde que as atividades da Samarco foram paralisadas, a empresa recorreu a vários mecanismos legais, tais como licença remunerada, férias coletivas e suspensão dos contratos de trabalho.

Hoje, a empresa tem cerca de 1.800 empregados próprios, dos quais cerca de 800 estão com os contratos suspensos.