Boieng e Embraer assinam acordo para nova empresa de aviação

Negócio entre companhias aéreas passará por aprovação da Assembleia Geral Extraordinária da brasileira, que está marcada para 26 de fevereiro

São Paulo – A Embraer informou que assinou o contrato principal de operação com a Boeing em aviação comercial. Também foi assinado o contrato de cooperação que contém os termos e condições para a criação da joint venture para promoção e desenvolvimento de novos mercados e aplicações para o avião cargueiro KC-390.

A operação será submetida à aprovação dos acionistas da Embraer em Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada, em primeira convocação, em 26 de fevereiro de 2019. A operação também depende da aprovação por autoridades concorrenciais brasileiras, dos Estados Unidos e de outras jurisdições aplicáveis.

Em janeiro, a Embraer afirmou que pretende distribuir a seus acionistas aproximadamente US$ 1,6 bilhão em dividendos extraordinários após a conclusão do negócio com a norte-americana Boeing, que renderá à brasileira cerca de US$ 3 bilhões líquidos.

Também em apresentação para investidores arquivada na CVM, a brasileira defende que a “Nova Embraer” será um ativo valioso a seus acionistas. A transação com a Boeing otimizará as operações de aviação executiva e Defesa & Segurança, que permanecem 100% sob o guarda-chuva da Embraer, e trará sinergias anuais de US$ 50 milhões aos segmentos, destaca a empresa. Além disso, a Embraer frisa que terá um upside com a participação de 20% na joint venture de aviação comercial, que deverá deslanchar com o apoio e escala da Boeing.