Embraer assina contrato de R$ 7,2 bi com Aeronáutica

O contrato prevê a aquisição de 28 aeronaves ao longo de dez anos, com a primeira entrega programada para o final de 2016

Gavião Peixoto, SP – A Embraer assinou nesta terça-feira, 20, contrato com o Comando da Aeronáutica para a produção seriada do KC-390, um cargueiro de médio porte que atualmente está em desenvolvimento.

O contrato prevê a aquisição de 28 aeronaves ao longo de dez anos, com a primeira entrega programada para o final de 2016.

O valor total do contrato é de R$ 7,2 bilhões e inclui também o fornecimento de um pacote de suporte logístico com peças sobressalentes e manutenção.

A assinatura do contrato se deu durante a inauguração do hangar para a produção seriada do cargueiro, na unidade da Embraer de Gavião Peixoto, no interior de São Paulo.

Durante seu discurso, o presidente da Embraer, Frederico Curado, destacou que o contrato vai sustentar e ampliar os empregos na região.

Conforme a Embraer, aproximadamente 1,5 mil empregados da fabricante de aviões estão diretamente envolvidos no projeto.

O ministro da Defesa, Celso Amorim, disse que o contrato dará “grande impulso à indústria aeronáutica e supre a necessidade das Forças Armadas e em especial da Aeronáutica”.

Ele lembrou que o pais tem 17 mil quilômetros de fronteiras e o KC-390 vai ampliar a capacidade de transporte da frota, com a possibilidade de reabastecimento aéreo.

A aeronave

O KC-390 é um cargueiro de médio porte que está sendo desenvolvido pela Embraer, em parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB) desde 2009.

O investimento no desenvolvimento do projeto é R$ 4,6 bilhões, recursos da FAB.

A aeronave, um jato bimotor, terá capacidade de carga de 23 toneladas e poderá ser utilizada como reabastecedora aérea, no transporte militar, em operações de busca, resgate e evacuação, e em operações humanitárias, entre outros.

Durante seu discurso, a presidente Dilma Rousseff destacou que o KC-390 vai substituir os C-130 Hércules.

A previsão da Embraer é de que o primeiro voo do KC-390 seja no segundo semestre deste ano. Como o período de certificação deve levar mais de um ano, a efetiva entrada em operação está prevista para 2016.

A Embraer possuía até hoje 60 cartas de intenção para a compra do KC-390, com seis países, incluindo o Brasil, e também Argentina, Chile, Colômbia, Portugal e República Tcheca.

Estimativas de mercado apontam que em 20 anos esta categoria de aeronaves cargueiras de médio porte terá demanda por 700 aviões.