Elie Horn, fundador da Cyrela, se despede do comando

Empresário fica na diretoria da construtora até o fim de abril; seus dois filhos irão sucedê-lo

São Paulo – “É difícil a hora do adeus, mas faz parte da vida. Obrigado a todos”. Foi com essas palavras que Elie Horn se despediu do comando da Cyrela, construtora fundada por ele há mais de 50 anos.

Durante teleconferência com analistas e investidores, nesta sexta-feira, o empresário participou pela última vez de um evento como diretor presidente da empresa. “Continuo no conselho de administração e estarei sempre presente”, disse durante a apresentação.

A partir de maio, a Cyrela passa a ser comandada em conjunto por Efraim e Raphael Horn, herdeiros e filhos de Elie. O empresário segue como presidente do conselho da construtora.

A nova estrutura reflete um novo momento da empresa. “O processo de sucessão vinha sendo conduzido nos últimos anos. Trata-se de uma transição amadurecida, amparada por uma equipe de executivos capacitada e por um processo de governança corporativa estruturado”, disse a companhia, em comunicado.

Raras aparições

Avesso à imprensa, Elie deu poucas entrevistas durante sua trajetória. Duas delas à EXAME. Na última, em 2010, o empresário chegou a afirmar que não pensava em aposentadoria naquele momento.

“Aposentadoria é uma covardia. Se eu parar de ser presidente da empresa, eu vou continuar a trabalhar para que ela continue a crescer”, afirmou Elie na ocasião.


Para ele, a Cyrela cresceu muito e rápido demais. “Só percebi quando ela já estava grande”, disse em entrevista à EXAME, em 2010.

O império

Em 2013, a Cyrela figurou como a segunda maior construtora do país, atrás somente da MRV, segundo ranking do ITC, consultoria tradicional em fornecimento de dados da indústria da construção.

A companhia somou vendas 19,5% maiores no ano passado, totalizando 7,1 bilhões de reais. Já o lucro líquido cresceu 25,8%, alcançando 719 milhões de reais.

Bilionário

Elie tem patrimônio avaliado em 1,3 bilhão de dólares, segundo ranking de bilionários da Forbes. O empresário figura como o 1284º homem mais rico do mundo, de acordo com a revista americana.

Como empresário e um dos homens mais ricos do país, Elie tem como princípio praticar a filantropia e por isso, como pessoa física, investe parte dos seus ganhos para ajudar outras pessoas.

Atualmente, ele detém 23,55% das ações ordinárias, com direito a voto, da Cyrela e figura como principal acionista individual da companhia. Aos 70 anos, ele se despede do comando da construtora, mas está longe de parar de construir seus sonhos.