Eletrobras não exerce opção de elevar capital social na Cepisa

Negócio entre as partes se deu em leilão de privatização em 2018, quando a Equatorial apresentou lance único com outorga de quase R$ 100 milhões

São Paulo — A Eletrobras não exerceu a opção de elevar o capital social na distribuidora Cepisa, que opera no Piauí e foi comprada no ano passado pela Equatorial Energia, informou a estatal na quinta-feira, 25, em comunicado divulgado ao mercado.

O negócio entre as partes se deu em leilão de privatização em julho de 2018, quando a Equatorial apresentou lance único com outorga de quase 100 milhões de reais.

Em outubro, as empresas firmaram um acordo a partir do qual era prevista “a possibilidade de a Eletrobras exercer, em até seis meses decorridos da troca do controle acionário, a opção de aumentar a participação… no capital social da Cepisa em até 30 por cento deste”.

“Em 17 de abril de 2019, encerrou-se o prazo previsto no acordo de acionistas para referida opção, a qual não foi exercida pela Eletrobras”, destacou a estatal.