Eletrobras confirma abertura de Plano de Demissão Consensual

Companhia informa que a meta é o desligamento de 2.187 funcionários, o que geraria uma economia de R$ 574 milhões ao ano

São Paulo – Em comunicado ao mercado, a Eletrobras confirmou a abertura do Plano de Demissão Consensual (PDC) 2019 a partir do dia 21. Segundo a estatal, o PDC será implantado na holding e também nas controladas Cepel, CGTEE, Chesf, Eletronuclear, Eletronorte, Amazonas GT, Eletrosul e Furnas.

A companhia informa que a meta é o desligamento de 2.187 funcionários, o que geraria uma economia de R$ 574 milhões ao ano, a um custo de R$ 731 milhões. As adesões ocorrerão por um prazo de 30 dias.

O Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, apurou que no PDC 2019 o empregado terá direito, por exemplo, a incentivos como 20% sobre o valor para fins rescisórios do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) mais 50% do aviso prévio indenizado.

A redução do quadro de empregados da Eletrobras faz parte do plano de privatização do Sistema Eletrobras comandado pelo atual presidente da estatal, Wilson Ferreira Júnior, executivo que foi reconduzido ao cargo pelo presidente Jair Bolsonaro. Hoje, Ferreira Júnior se encontra com o ministro de Minas e Energia, Bento de Albuquerque, em Brasília, para discutir o processo de capitalização da companhia, que deve ser realizado ainda este ano.