ELE NÃO É MAIS AQUELE

Aos 76 anos, Andy Pearson, fundador e ex-CEO da Tricon Global Restaurants, já foi um chefe duríssimo de roer: há 20 anos a revista Fortune o elegeu um dos “dez chefes mais durões da América”. Comandou a PepsiCo com mãos de ferro por 14 anos. Nesse período, nenhum resultado era bom, mesmo que estivesse acima do projetado. Ele também costumava demitir de 10% a 20% de seu pessoal todo ano, para eliminar os menos capazes, achava defeitos no trabalho de todos e chamava executivos super qualificados de “macacos” quando as coisas não saíam como ele queria. Hoje, Pearson não é mais assim. Ele não sabe dizer exatamente por quê, mas o estilo de liderança amigável de David Novak, atual CEO da Tricon, mexeu com ele. “Errei, achando que só tinha de me preocupar com números. A empresa tem de ser um lugar onde as pessoas gostem de estar”, diz. Quem diria: o homem que antes era chamado de the big bad guy (algo como o grande homem mau) agora ri de si mesmo e não “morde” mais.