Os desafios para melhorar o ensino no Brasil

Segundo o Ipea, dois em cada dez dos jovens brasileiros não trabalham nem estuda. Para especialista, qualificação é um caminho para mudar essa realidade  

O Brasil ainda enfrenta muito desafios para oferecer um ensino de qualidade para os seus alunos. Uma das principais dificuldades é manter a motivação desses jovens pelo estudo. Segundo uma pesquisa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), divulgada em 2018, existem mais de sete milhões estudantes que vão à escola, porém possuem dois ou mais anos de atraso escolar. Isso pode desmotivar o aluno a continuar seus estudos.

De acordo com uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 23% (dois em cada dez) dos jovens brasileiros não trabalham nem estudam. Essa geração, conhecida como “nem-nem”, acaba se tornando invisível para o mercado, que é extremamente competitivo.

“Os cursos profissionalizantes acabam tendo um apelo maior dos jovens por trabalharem com conteúdos da realidade cotidiana, diz Jefferson Vendrametto, Membro do Conselho do CEBRAC. Segundo a Unicef, promover a conexão entre o que é ensinado com a realidade dos estudantes é umas das grandes dificuldades da educação brasileira. Entre outros desafios elencados pela instituição estão: a identificação de crianças e jovens que estão fora da escola, o combate à evasão escolar e o aumento a participação de crianças e adolescentes no desenvolvimento de propostas para o uso de tecnologias nas escolas.