Dono do Financial Times pode comprar o americano The Wall Street Journal

General Electric e o grupo Pearson, que publica o Financial Times, estudam oferta conjunta à publicação americana

A disputa pelo controle da Dow Jones, companhia que publica o americano The Wall Street Journal, pode ganhar novos personagens. A gigante americana General Electric e o grupo Pearson, que publica o jornal britânico Financial Times, estão discutindo a apresentação de uma oferta conjunta. A proposta pode mudar o desfecho da história, que atualmente tem em Rupert Murdoch, controlador da News Corp, seu principal protagonista. Murdoch ofereceu 5 bilhões de dólares para comprar a Dow Jones, controlada pela família Bancroft.

De acordo com reportagem publicada nesta segunda-feira (18/6) pelo WSJ, até o momento, Murdoch é o principal candidato a vencer a disputa, na ausência de rivais de peso. Mas uma possível oferta da GE e do Pearson seria mais palatável à família Bancroft, que teme que Murdoch interfira na linha editorial do jornal. Os controladores do WSJ tentam um acordo para preservar os princípios editoriais da publicação.

Segundo a reportagem, a nova proposta envolveria a fusão da CNBC, canal de negócios da GE, do Financial Times, e do WSJ. A nova empresa teria participações iguais da GE e do grupo Pearson, e deixaria os Bancroft com uma fatia minoritária no negócio. As negociações apontam para uma fatia entre 40% a 45% do capital para cada sócio majoritário. Os Bancroft ficariam com uma participação de 10% a 20%. Em uma avaliação preliminar, o acordo poderia alcançar 4,25 bilhões de dólares.

Para alguns observadores, o principal risco da transação é não haver um líder claro para comandar a fusão entre as empresas, já que o Pearson e a GE teriam participações iguais na joint venture.