Dona da Zara estuda 25 mil demissões temporárias na Espanha

Demissões temporárias são uma prática na Espanha que permite demitir trabalhadores durante períodos de estresse financeiro com o objetivo de recontratá-los

A Index, proprietária da marca de roupas Zara, avalia a demissão temporária de 25 mil funcionários de suas lojas na Espanha em meados de abril, caso o estado de emergência do país se estender além desse período.

A empresa fechou lojas na Espanha e continuará pagando o salário completo aos funcionários até 15 de abril. Depois disso, a empresa poderá introduzir um plano de demissão temporária caso as lojas tenham de permanecer fechadas, segundo um representante da empresa. Para os que possam ser temporariamente demitidos, a varejista pagará a diferença entre o seguro-desemprego e o salário habitual, de acordo com o representante.

No início da semana, a Inditex disse que metade de suas lojas em todo o mundo estavam fechadas devido à nova pandemia de coronavírus. As vendas caíram 24% na primeira quinzena deste mês em moeda local.

Demissões temporárias são uma prática pela qual a Espanha permite que empresas demitam trabalhadores durante períodos de estresse financeiro com o objetivo de recontratá-los quando a situação melhora. O governo paga benefícios de seguro-desemprego aos trabalhadores, e os planos precisam ser negociados com sindicatos e revisados pelo Ministério do Trabalho.

Centenas de empresas apresentaram planos de demissões temporárias na Espanha desde que o governo anunciou o estado de emergência, em 13 de março.