Dólar e receita menor fazem Fibria fechar 3o tri no vermelho

Resultado reverteu lucro líquido de 631 milhões de reais obtido pela empresa no segundo trimestre, quando foi beneficiada por créditos fiscais

São Paulo – A produtora de celulose Fibria teve prejuízo líquido consolidado de 359,38 milhões de reais entre julho e o final de setembro, em um resultado impactado pelos efeitos da valorização do dólar contra o real na dívida da companhia e queda de receita.

O resultado reverteu lucro líquido de 631 milhões de reais obtido pela empresa no segundo trimestre, quando foi beneficiada por créditos fiscais, e ganho de 57 milhões no terceiro trimestre do ano passado.

Segundo a Fibria, maior produtora de celulose de eucalipto do mundo, além do resultado financeiro negativo de 785 milhões de reais, a variação na linha final do balanço sobre o mesmo período de 2013 foi gerada por redução da receita líquida e o aumento do custo dos produtos vendidos, que subiu 6 por cento.

A empresa afirmou que o custo caixa de produção ficou estável em relação ao mesmo período do ano passado, principalmente como resultado da venda de energia e de eficiência operacional.

A Fibria disse que “está preparada para enfrentar qualquer cenário adverso no que tange a possibilidade de racionamento de energia elétrica em 2014” e que de janeiro a setembro “produziu 116 por cento da energia necessária para o processo de produção de celulose”.

A companhia apurou uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de 613 milhões de reais, queda de 20 por cento sobre o dado registrado um ano antes. A margem no período passou de 41 para 35 por cento.

Analistas esperavam, em média, prejuízo líquido de cerca de 600 milhões de reais para a Fibria no período e Ebitda de 582,5 milhões, segundo pesquisa da Reuters.

A Fibria foi a primeira companhia do setor a divulgar resultado de terceiro trimestre. A Klabin publica seu balanço no próximo dia 28 e a Suzano Papel e Celulose informa seus números em 30 de outubro. A companhia teve receita líquida 5 por cento menor no trimestre, a 1,75 bilhão de reais, apesar das vendas de celulose terem subido 5 por cento, a 1.372 toneladas, recorde para o período. A produção do insumo ficou estável na comparação anual, a 1,345 milhão de toneladas.

A dívida líquida da Fibria encerrou o trimestre passado em 2,984 bilhões de dólares, queda de 19 por cento sobre o período de julho a setembro de 2013 e no menor patamar desde a criação da empresa.