Volta às Aulas: ansiedade em Alunos pode Prejudicar a Relação Familiar

De acordo com  as estimativas de Frey & Osborne, dois pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, 47% dos empregos existentes hoje serão perdidos para robôs nos próximos 10 ou 20 anos. Isso significa que os jovens de hoje terão profissões muito diferentes das já existentes, mas também mais interessantes, envolvendo produção de conhecimento e inovação. Ter que se preparar para carreiras que ainda nem existem, porém, pode gerar um medo exagerado de insucesso e acabar levando a um preocupante quadro de ansiedade em crianças e adolescentes.  

Essa preocupação aumenta neste período de volta às aulas, já que a escola apresenta um contexto de pressão e cobranças em que há regras a serem cumpridas, conteúdos desconectados com essa nova realidade do aluno e situações de avaliação. Especificamente em provas e vestibulares, até mesmo alunos com alto desempenho escolar podem ser afetados, pois a ansiedade interfere no nível de concentração e na capacidade de recordar ou de recuperar um conteúdo, ainda que a aprendizagem tenha acontecido.

– Baixo desempenho escolar como consequência de quadros de ansiedade

Alunos ansiosos geralmente não desenvolvem hábitos de estudo e, quando fazem, costumam se utilizar de estratégias ineficientes, estudando por mais tempo e com menos qualidade. A falta de aptidão para estabelecer as próprias metas, planejar, direcionar e monitorar seus esforços tem como consequência um baixo desempenho que, quando recorrente, pode levar ao fracasso escolar.

Para a família, este cenário é bastante preocupante, pois tais alunos podem apresentar reações como impulsividade, agressividade, oposição, inquietude e retraimento que frequentemente geram conflitos em casa.

– O desafio da família em lidar com a situação

Estudar é um trabalho que requer esforço não só dos alunos mas também dos pais, de quem se espera apoio e orientação. Um ambiente familiar favorável precisa fornecer motivação e valorização dos momentos de estudos, além de estrutura física adequada. É também imprescindível que a família entenda que a forma como se estuda é mais importante do que o tempo gasto no processo.

– Como os pais conseguem conciliar todos esses desafios com a dinâmica familiar?

Para Júnior Pacheco, educador especialista em acompanhamento escolar há mais de 10 anos, é realmente um desafio para os pais encontrar suporte e orientação adequados: “Os pais se sentem sozinhos na tarefa de conciliar dinâmica familiar com todos estes desafios que se tornam ainda maiores quando se tem mais de um filho. A falta de orientação de qualidade à família é bastante comum e o suporte oferecido pela escola tradicional normalmente é ineficiente e inespecífico.”

Com o propósito de preencher esta lacuna, existem espaços educacionais especializados neste apoio à família, onde profissionais multidisciplinares oferecem auxílio para o desenvolvimento de Estratégias de Aprendizagem personalizadas, ressignificando a relação de cobrança dos pais sobre os filhos.

– Estratégias de Aprendizagem como solução

Estratégias de aprendizagem são técnicas para facilitar a aquisição, armazenamento e utilização da informação com o propósito de se atingir os objetivos de aprendizagem. A maneira mais comum de se estudar é utilizando as estratégias chamadas de cognitivas, como repetições, cópias, paráfrases e resumos.

Estudos mostram, porém, que só as estratégias cognitivas não são suficientes. Neste contexto, o Força Ensino Personalizado – espaço de apoio escolar na região do Morumbi, em São Paulo – atua de forma mais completa, visando apoiar as famílias no desafio de melhorar o desempenho escolar dos jovens, amenizando quadros de ansiedade e conflitos familiares como consequência.

“Aqui no Força, conseguimos enxergar o aluno em sua individualidade. Podemos, a partir disso, avaliar quais as melhores estratégias de aprendizagem para cada caso. Isso envolve, além das cognitivas, estratégias metacognitivas, com planejamento de estudo, sua monitoração e manutenção. Como resultado, temos estudantes mais autônomos que conhecem e sabem utilizar estas estratégias, realizam atividades mais produtivas e se tornam mais bem preparados para lidar com avaliações e provas. Isso diminui muito o desgaste pessoal e familiar!” –  afirma Maíra Portella, Coordenadora Pedagógica do Força Ensino Personalizado.

O espaço atua com mais de 500 alunos por ano, com atendimentos individuais e em pequenos grupos, aplicando as estratégias de aprendizagem com os objetivos de desenvolver a autonomia e amenizar a ansiedade causada pelos estudos, melhorando assim a performance dos alunos. A equipe também seleciona franqueados interessados em fazer diferença na vida dessas famílias, expandindo o trabalho para outras regiões de São Paulo e do Brasil.

Maíra reforça ainda que as estratégias de aprendizagem são extremamente relevantes, mas não o suficiente em todos os casos: “variáveis psicológicas e motivacionais também devem ser levadas em conta e, por isso, contamos também com o apoio multidisciplinar de profissionais especializados nessas áreas, como psicólogos, psicopedagogos, fonoaudiólogos e coaches”.

Voltar às aulas com esse apoio pode garantir um ano escolar muito mais tranquilo, com mais momentos para as famílias serem mais família!

Para conhecer melhor o trabalho desenvolvido pelo Força Ensino Personalizado acesse:

Site: www.cursoforca.com.br

Facebook: www.facebook.com/cursoforca

Instagram: www.instagram.com/cursoforca

WhatsApp: (11) 99257-7276

Website: http://www.cursoforca.com.br