Segundo dados, e-commerce faturou R$ 21 bilhões no primeiro semestre de 2017

Segundo o CEO da Ebit, Pedro Guasti, a economia brasileira teve uma melhora significativa no primeiro semestre de 2017, refletindo positivamente no e-commerce. No começo deste ano, além de recuperar o crescimento, o setor de e-commerce ultrapassou a barreira de 50 milhões de pedidos pela primeira vez.

Segundo relatório feito pelo Webshoppers 36 e divulgado pela Ebit (empresa referência em informações sobre o comércio eletrônico brasileiro), o e-commerce faturou R$21 bilhões no primeiro semestre de 2017, crescimento nominal de 7,5% ante o mesmo período de 2016, quando foram registrados R$19,6 bilhões. O número de pedidos aumentou 3,9% (de 48,5 milhões para 50,3 milhões) e o tíquete médio registrou expansão de 3,5%, passando de R$403 para R$418.

O Webshoppers 36 relata que um dos principais fatores para o aumento dos pedidos, foram as promoções e ofertas, ou seja, as lojas online reduziram os preços dos produtos e com isso o número de consumidores eletrônicos ativos passou por um crescimento considerável de 10,3%, para 25,5 milhões. Segundo a Ebit o levantamento considera os consumidores que fizeram ao menos uma compra no e-commerce no primeiro semestre de 2017.

Entre as categorias mais pesquisadas pelos compradores que costumam realizar pedidos via internet, a de telefonia e celulares está em primeiro lugar, com 22,3% das compras. Em seguida estão os eletrodomésticos, que representam 18,8% das compras, seguidos por eletrônicos, com 9,6%. Olhando por outra perspectiva, do volume de pedidos, roupas e acessórios lideram o ranking, com 14,8%, enquanto o ramo da perfumaria (cosméticos) e da saúde (remédios) ficam em segundo lugar, com 12,2%. Casa e decoração ficaram em terceiro lugar,com 10,6%.

O relatório da Ebit revela um ponto interessante: a alta das compras feitas a partir do celular cresceram 35,9% nos primeiros seis meses deste ano e já representam praticamente um quarto (24,6%) do total de pedidos feitos no comércio eletrônico brasileiro. A Ebit espera que o Natal impulsione as vendas, e que o crescimento continue evoluindo, podendo chegar de 12% a 15%.

As pesquisas mostram que a Black Friday ou Novembro Black deste ano também irão atrair novos consumidores eletrônicos. Mais de 370 mil consumidores que nunca fizeram compras pela Internet, estão recorrendo a lojas online para as compras de final de ano, o equivalente a 10% dos novos clientes previstos para o varejo online em todo o ano.

De acordo com a pesquisa realizada pelo mercado do Google Brasil, as vendas por e-commerces continuam crescendo devido à expansão de lojas online, onde o consumidor brasileiro consegue enxergar um aumento de variedade de produtos, encontrando com mais facilidade e conforto os itens que precisa. Os fatores mais considerados na hora da decisão da compra são: preço (49%), confiança na loja (27%), confiança na marca (13%) e preço do frete (5%).

O site no segmento de decorações, Casa do papel de parede, que trabalha com papel de parede, cortina sob medida e persiana viu no e-commerce a oportunidade de aumentar as vendas. Com uma variedade de produtos que se destaca no setor, a Casa do papel de parede trabalha com as melhores e mais conceituadas marcas, além de contar com excelentes profissionais do ramo de decoração para auxiliar seus clientes. Para as vendas natalinas, a empresa aposta nas vendas online, que são oportunidades excelentes para os clientes que precisam poupar tempo.