Segundo a consultoria ICTS Outsourcing, uso do canal de denúncias cresce 52,6% nas empresas brasileiras, reporta o advogado Fagali

O ICTS Outsourcing é uma consultoria de compliance responsável por mais de 200 canais de denúncias de empresas no Brasil. Em seus 10 anos de atuação no mercado, ela já recebeu e tratou cerca de mais de 170.000 relatos distribuídos em 229 companhias. Recentemente, um dos seus levantamentos apontou algumas constatações – os funcionários de grandes corporações, por exemplo, estão mais encorajados a denunciar irregularidades para seus empregadores. Quem destaca o estudo é o advogado Bruno Fagali, que também é membro da Fagali Advocacia

A pesquisa da ICTS Outsourcing considerou uma amostra de 50 empresas que usam o canal há mais de cinco anos. Segundo o levantamento, o número de denúncias aumentou em 52,6% entre os anos de 2014 e 2017. Verificou-se que, durante o biênio 2014 e 2015, no grupo de empresas analisado foram coletados 17.572 relatos, volume que subiu para 26.524 entre 2016 e 2017, acentuou Fagali.

Os grandes responsáveis pelo aumento desse índice, porém, foram alguns acontecimentos recentes, mostrou a análise da evolução anual do registro – como a Operação Lava Jato, a promulgação da Lei Anticorrupção e a maior atenção dada pela sociedade para casos de assédio moral e sexual.

De acordo com o sócio-diretor da ICTS, Cassiano Machado, desde a Operação Lava-Jato, a percepção de denúncia sofreu uma “mudança radical”. Ele explicou que lá em 2007, quando a consultoria começou a oferecer o serviço de denúncias para empresas brasileiras, o nome da ferramenta era “canal confidencial”, para que não carregasse um tom “pejorativo”. Contudo, “hoje, o denunciante é visto como alguém que quer contribuir para o ambiente de trabalho”, ressaltou Machado. O sócio-diretor acentuou que desde 2013, com a aprovação da Lei Anticorrupção, ele tem notado uma inclinação mais forte em transformar canais internos, onde quem recebe as denúncias são funcionários da empresa, em externos – nesse caso, é uma consultoria que faz o trabalho de recebimento e apuração inicial dos relatos, reporta o advogado Fagali. Cassiano Machado frisou que, com base em sua experiência, essa medida costuma aumentar o volume de denúncias em cerca de 60%.

Bruno Fagali acrescenta que, ainda conforme o levantamento da ICTS Outsourcing, o assunto que mais gera denúncias segue ligado a relacionamentos interpessoais, presentes em 43% das denúncias no ano passado – isto vai desde desvios de comportamento até abusos de poder e assédio, reproduz o advogado da Fagali Advocacia Logo atrás, na lista de assuntos que mais geram denúncias, com um percentual de 34%, estão os relatos de má conduta – como fraudes e outros tipos de irregularidades. Os descumprimentos de normas também integram essa tabela, com cerca de 25% das denúncias.

A pesquisa também aponta que os maiores alvos dos relatos são os gestores das empresas – sejam eles os chefes diretos ou altos executivos. Ainda, 86% das denúncias são feitas por funcionários – o percentual restante vem de públicos externos, como é o caso dos fornecedores, por exemplo, conclui Fagali.
Website: http://www.fagali.com