Professora americana cita os erros mais comuns dos brasileiros no idioma inglês

De acordo com uma pesquisa da Catho, site de busca de empregos, dominar um segundo idioma pode enriquecer em 52% o salário. Porém, apenas 5% da população brasileira fala uma segunda língua – menos de 3% têm fluência no inglês. Isso ocorre devido à falta de tempo e às dificuldades do próprio idioma, que quando não é bem trabalhado, desestimula o estudante a persistir nos estudos.

No caso dos brasileiros que estudam inglês, existem muitos equívocos comuns que podem ser evitados com atenção, disciplina e, é claro, com a orientação necessária. “Nestes 15 anos dando aula e me especializando no ensino de inglês para brasileiros, percebi erros comuns entre os brasileiros, que a maioria nem sabe que são realmente erros e que podem influenciar na comunicação”, diz Jackie, americana fundadora do site Ask Jackie e da escola de inglês Cia de Inglês (https://www.ciadeingles.com.br/).

Para a profissional, é fundamental tornar a aula descontraída e simplificar os ensinamentos. “Criei o canal Ask Jackie com esse intuito: ensinar o inglês na prática (inclusive a gramática), simplificando o processo de ensino aprendizagem”, conta.

Quando ensinado por meio de exemplos práticos e de formas tradicionais de construção idiomática, fica mais fácil para as pessoas que estão aprendendo inglês descobrirem de que forma podem utilizar certas palavras e estruturas.

A seguir, a profissional listou os erros mais comuns cometidos por brasileiros ao aprenderem inglês:

Tradução X versão

Um dos primeiros erros cometidos por brasileiros e que saltam aos olhos mais treinados da profissional é a tradução inadequada de palavras e de expressões. Quando se pensa em uma tradução, é preciso considerar que ela deve ser uma versão correspondente de certo conteúdo em outra língua.

Ou seja, nem sempre é interessante fazer uma tradução literal do material. É importante conhecer um pouco das características culturais e sociais do idioma à medida em que se conhece mais o vocabulário. Expressões características de uma comunicação informal, por exemplo, não devem ser utilizadas em textos escritos ou em contextos profissionais. “Nas redes sociais posto diariamente sobre o mundo de aprendizagem do inglês que compreende não só a gramática e teoria, como a cultura, da qual não pode ser dissociada da língua”, diz.

Fonemas

Fonemas que não existem no português e que causam dificuldade de pronúncia também costumam causar problemas para as pessoas que não dominam ainda o inglês. É o caso, por exemplo, do som referente ao -th, que não existe no Brasil.

Aos profissionais, é preciso considerar que existe uma dificuldade intrínseca nesse tipo de som e, a partir disso, observar com mais atenção a forma como ele deve ser executado no meio das frases e não ter medo de errar, treinando sempre antes de dominar a pronúncia adequada.

Vocabulário específico

Uma outra necessidade de quem aprende inglês é o de adquirir vocabulário específico de certas áreas. Por isso, o canal Ask Jackie traz vídeos com palavras e expressões do segmento tecnológico ou gastronômico, por exemplo. Isso ajuda as pessoas que estão em processo de aprendizado a saber lidar com situações variadas e a compreender ao menos o básico em cada tipo de lugar em que estiver quando viajar para um país estrangeiro.

Do e Will

Também é importante estudar sinônimos e palavras semelhantes que não possuem correspondência no português. Palavras auxiliares, como do e will, são extremamente importantes no idioma, mas podem causar bastante confusão para os nativos do português que não têm familiaridade com termos que não são explicitamente traduzidos em uma frase. Por isso, além de saber de modo geral o seu sentido e aplicação, também é interessante ver aulas e vídeos com contextos práticos de sua utilização.

Mesma palavra, diferente significado

Outro ponto que costuma causar erros por parte dos brasileiros é a pronúncia de verbetes escritos de forma semelhante. Assim como existe em português a diferença entre as palavras manha e manhã, o mesmo acontece no idioma inglês, sendo imprescindível para quem está aprendendo identificar essas diferenças e não ficar confuso na hora de falar ou compreender os termos.

Saiba mais

Ask Jackie é um canal do YouTube criado pela americana Jackie, que trabalha há mais de quinze anos  com tradução e ensino de inglês. Além do conteúdo postado no site, a profissional realiza ainda postagens em redes sociais e em seu canal no YouTube.

Jackie criou um Minicurso gratuito para falar especificamente sobre os “10 erros mais comuns que os brasileiros cometem ao falar inglês”. Ou seja, erros esses que são cometidos durante a comunicação da língua. Este minicurso, pode ser encontrado em seu blog www.askjackie.com.br

Website: http://www.askjackie.com.br