Pesquisa coloca Brasil no topo de ranking de acessos online, mostra José Borghi

O Brasil é o país em que a população passa mais tempo na internet e o segundo lugar em relação aos acessos às redes sociais. É o que aponta José Borghi, da Mullen Lowe, antiga Borghi Lowe, com base no estudo da organização We Are Social.

As pesquisas, realizada durante todo o ano de 2015 e divulgadas no final de janeiro, revelaram que o acesso à internet é uma realidade para mais da metade da população mundial. O Brasil, em específico, ficou no topo do ranking mundial quando o assunto é tempo conectado. Em média, o brasileiro gasta cinco horas e 12 minutos por dia em computadores e três horas e 55 minutos em dispositivos móveis.

No ranking de países que mais acessam redes sociais, o país aparece na segunda posição, atrás apenas das Filipinas. São aproximadamente três horas e 20 minutos por dia, contra algo em torno de três horas e 40 minutos dos filipinos.

Os altos índices brasileiros na pesquisa ocorrem em um tempo em que os dispositivos digitais, como celulares e tablets, ganham mais espaço na rotina da população que acessa à internet, lembra José Borghi. O levantamento da We Are Social apontou que as conexões via mobile tiveram um crescimento de 21% de 2014 para 2015. Por outro lado, os acessos através de computadores de mesa caíram 9%.

Quando o assunto é redes sociais, o Facebook ainda possui muita força nos números. O site totaliza mais de 1,5 bilhão de contas ativas ao redor do mundo. Além disso, após a compra do Whatsapp pela empresa, o aplicativo cresceu 50% em um ano. O aplicativo já tem um bilhão de usuários, sendo 100 milhões brasileiros.

Se for levar em conta toda a América do Sul, metade da população possui conta ativa em redes sociais. O continente só fica atrás da América do Norte, que conta com 59% da população conectada a algum site ou aplicativo do gênero.

O estudo também revelou um aumento na velocidade das conexões. O Brasil apresenta uma média de 3,6 megabytes por segundo, mas ainda fica atrás de outros países latino-americanos, como Argentina e México, que passam dos quatro megabytes. A Coréia do Sul é a líder nesse quesito, com 25,5.

Na escala mundial, a pesquisa apresentou um crescimento de 10% no número absoluto de usuários da internet ao redor do planeta. A proporção de 10% também se repete quando o tema é população ativa em redes sociais, lembra José Borghi.

A Islândia ocupa a primeira posição do ranking de países com maior penetração da internet. Ao todo, 98% da população do país possui acesso à rede mundial de computadores. Bermudas, no Caribe, vem em seguida, com 97%. A Noruega aparece com 96% para fechar o top-3 das nações na categoria.

Diante dos números, é preciso ter em mente que a comunicação para celulares e tablets precisa ser pensada de uma forma cada vez mais completa, aponta José Borghi, da Mullen Lowe, antiga Borghi Lowe. O estudo conclui que chegar até os consumidores no ambiente digital já não é mais um diferencial, mas sim algo indispensável.

Website: http://us.mullenlowe.com/