O futuro do recrutamento e seleção no Brasil

O cenário atual, político e econômico, que o país vem enfrentando preocupa boa parte da população, pois um dos fatores e consequência dessa crise vem crescendo a cada dia – o desemprego – que subiu em todas as grandes regiões do Brasil no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Porém, muitas empresas estão com vagas em aberto e não conseguem fechá-las por falta de candidatos, isso mesmo candidatos. Vários são os motivos: divulgação, perfil do candidato, e, principalmente, RH.

Os departamentos de seleção precisam se adaptar a uma nova era, com novas tecnologias, métodos e ferramentas. Além disso, as pessoas estão mudando e os candidatos das novas gerações possuem necessidades e interesses diferentes de seus antecessores. Assim, para atrair bons e novos profissionais é preciso estar em constante atualização com essa nova realidade.

Com o foco em todos esses problemas e apontando novas soluções aconteceu na semana passada, o “Kenoby Talks” um evento organizado pela start up de tecnologia Kenoby (software de recrutamento e seleção) que levou a seus participantes, o que há de mais moderno em tecnologias e metodologias de gestão em Recrutamento e Seleção e contou com a participação de diversos profissionais da área de RH, como: Gaetano Crupi,presidente da Bristol-Myers Squibb; Milton Beck,diretor de talent solutions do LinkedIn, Marcel Lotufo, fundador do Kenoby; Soraya Bahde,diretora de RH da Alelo; Marcos Panassol, sócio líder de RH da PWC e Flávio Pripas, managing director do Cubo.

A empresa acredita que o setor está entrando numa nova era de Recrutamento e Seleção, onde novas ferramentas, estratégias e inovações são necessárias para transformar a maneira como o recrutamento é feito, ajudando organizações e candidatos a se encontrarem de forma mais íntegra e eficiente.

Se o profissional está com o tempo limitado, e vê a necessidade de desmarcar um dos compromissos abaixo o qual o qual você acha que ele desmarcaria? E qual seria a prioridade dele?
1 Reunião em um cliente
2 Reunião com sua equipe
3 Entrevista

Segundo Marcel Lotufo ex headhunter e fundador do Kenoby, a decisão mais acertada seria priorizar a terceira opção, porém, muitos optariam pela número um, isso ocorre porque infelizmente no Brasil, diferente dos países mais evoluídos, ainda não damos a devida importância da área de recrutamento e seleção, porém, é dela que pode sair os melhores resultados de uma.

Ainda segundo ele, “num futuro bem próximo, onde características e valores, ganharão mais importância do que anos de experiência na mesma função e poderemos até fazer uma prévia análise de comportamento através de informações presentes nas redes sociais, o poder passará para as mãos dos candidatos, sai na frente a empresa que se der conta disso o quanto antes, e comece a usar as novas ferramentas, para atrair o profissional ideal. “