Marcio Alaor, do BMG, explica por que a economia da Austrália é uma exceção à crise mundial

Mesmo em um período de grande instabilidade econômica, no qual grande parte dos países desenvolvidos permanecem tentando se recuperar após a crise de 2008, Marcio Alaor, executivo do Banco BMG, reporta que a Austrália é um caso isolado e que vem ganhando destaque entre os especialistas em economia.

Recentemente, foram divulgados dados das atividades econômicas do país que relatam que a economia cresceu cerca de 2,5% no terceiro trimestre de 2015, o que indica que a Austrália fechará o ano como o 25º consecutivo sem recessão. A última vez que o PIB (Produto Interno Bruto) da Austrália encolheu, no início da década de 90, o mundo passava por outro período de intensa volatilidade, provocado pelo colapso de determinadas bolsas internacionais alguns anos antes. Ainda assim, lembra Marcio Alaor, o país foi capaz de controlar a inflação, regular a taxa de juros e criar a partir de então um sistema econômico que só cresce, mesmo com as crises e instabilidades do mercado.

Uma das razões para isso, reporta Marcio Alaor do BMG, é devido ao fato da Austrália ser um importante exportador de commodities, que são mercadorias produzidas em larga escala e amplamente comercializadas no mercado internacional, como por exemplo, os commodities agrícolas como a soja e o trigo, e os commodities minerais como o ferro e o alumínio. Desse modo, a partir dos anos 2000, com o crescimento acelerado da economia chinesa, a Austrália se tornou um dos seus principais exportadores de commodities, o que também serviu como um importante estímulo para a economia australiana, diz Alaor do BMG.

Porém, mesmo com a desacelaração da economia da China e a crise internacional que atingiu o mercado em 2008, a Austrália se destacou dos países desenvolvidos e até mesmo dos que estão em desenvolvimento, como o Brasil, pois conseguiu implantar medidas que continuaram estimulando o crescimento do país. Para muitos economistas, o segredo australiano foi ter apostado em estímulos fiscais, no qual as pequenas empresas foram isentas de impostos durante os períodos mais conturbados, e também nos investimentos no setor da construção civil, um segmento muito importante para a geração de empregos e, consequentemente, para o desenvolvimento econômico.

Marcio Alaor, do Banco BMG, cita por exemplo o fato do Ministro das Finanças australiano, Wayne Swan, ter ganhado grande destaque internacional pela revista Euromoney em 2011, pelo fato de ter implantado essas medidas e ajustes no momento correto. O executivo do Banco BMG ainda cita os dados estatísticos do país durante o período de crise: em 2009, quando boa parte dos países sentiam os efeitos mais desastrosos da recessão, a Austrália cresceu cerca de 1,4%. Além disso, nos anos seguintes, o país manteve um crescimento anual superior aos 2%, o que comprova a impressionante estabilidade econômica australiana. Como resultado desse bom desempenho econômico da Austrália, o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor, reporta o fato do país possuir uma das maiores expectativas de vida do mundo, além de um excelente índice de desenvolvimento humano (IDH), dois fatores que contribuem para estabelecer a Austrália entre os países de primeiro mundo.
Website: http://marcioalaorbmg.com/