Lançamento 2016: Novos produtores, processadores e indústrias integram a 6ª edição do Catálogo Nacional de Produtos Orgânicos

São Paulo, 10 de junho de 2016 – Acaba de sair do forno o novo Catálogo Nacional de Produtos Orgânicos, Naturais e Sustentáveis, único anuário da Economia Verde brasileira, a publicação se tornou nos últimos anos a principal ferramenta de acesso ao setor varejista de fornecedores de uma imensa variedade de produtos saudáveis para os consumidores e o meio ambiente, um mercado em forte expansão. A sexta edição traz dados atualizados e novos produtores, processadores e indústrias integram o Catálogo, mais robusto este ano, com cerca de 20% mais anunciantes e 84 páginas, comparativamente as 68 dos anuários anteriores.

“O aumento se deve ao ingresso de novos produtores no mercado, atraídos pelo seu crescimento, à maior conscientização dos fornecedores e também pela parceria com a Francal, pois somos o veículo oficial das principais feiras do segmento verde nacional – a BioBrazil Fair e a Natural Tech – e temos duas tiragens, uma que é distribuída como o guia completo dos eventos e, outra, para o setor varejista. Nossa maior dificuldade é convencer estes produtores e processadores, e até mesmo as certificadoras a se unir. O departamento de compras do autosserviço alimentar – supermercados, hipermercados, grandes redes de padarias, atacadistas e distribuidores – não utilizam a internet para buscar fornecedores que deve ir até eles, ou fazer chegar a informação. O Catálogo é um mapa que dá credibilidade ao varejo de que o segmento verde pode estar presente em todas as seções de uma loja, maior confiança ao comprar evitando rupturas na loja e melhorando os custos de logística para localizar fornecedores da região, barateando o transporte”, enfatiza Miguel Ferrari Stella*, que possui larga experiência com o varejo brasileiro, é sócio-fundador da Ferrari Stella Comunicação**, idealizadora do Catálogo.

O CNPONS é uma lista organizada com aproximadamente 100 fornecedores e as áreas em que atuam. Traz ainda reportagens e artigos aprofundados sobre temas relevantes e as principais tendências para produtos orgânicos, naturais e funcionais nos próximos cinco anos. E não está focado apenas para o setor de alimentos e bebidas, a ideia é apresentar ao setor varejista, que pode sim existir um estabelecimento 100% sustentável em relação a estrutura, decoração e uniformes também.

Todo o conteúdo editorial é baseado em dados e estudos dos principais institutos de pesquisas nacionais e internacionais, como AC Nielsen – Ibope, Kantar Wordpanel, Euromonitor, além das mais importantes associações do setor varejista, entre as quais a Associação Brasileira de Supermercados – ABRAS, Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores – ABAD, Associação Brasileira de Hospedagem Gastronomia e Turismo – ABRESI. “Tudo isso para apresentar aos produtores e varejistas o potencial do segmento verde. As matérias não são perecíveis em um curto espaço de tempo para que eles conheçam as tendências de consumo do mercado nacional, internacional e, principalmente, possam atender as necessidades do consumidor no ponto de venda.”

Varejo mundial movimenta mais de US$ 726 bilhões

A sexta edição aborda, por exemplo, pesquisas indicando que as vendas de produtos alimentares ligados à saúde e ao bem-estar devem crescer 34,5% no Brasil, atingindo US$ 36,92 bilhões em cinco anos. No ano passado, o faturamento desse setor alcançou US$ 27,46 bilhões, quase o dobro quando comparado aos US$ 14, 25 bilhões de 2010. Os números são do estudo Health and Wellness, realizado pela Euromonitor International. Ele mostra ainda que, em 2015, esses produtos movimentaram US$ 726,59 bilhões no varejo mundial, expansão de 35,7% ante 2010. A expectativa é de alta de 21,14% até 2020 nas vendas globais.

Entre os segmentos que devem continuar bastantes fortalecidos nos próximos anos, destaque para o de produtos funcionais. São alimentos e bebidas que atendem as necessidades de diabéticos, celíacos e pessoas com intolerância a lactose, por exemplo. Foi o que mais cresceu nos últimos anos dentro do mercado brasileiro de produtos saudáveis. As vendas passaram de US$ 50,3 milhões, em 2009, para US$ 156,7 milhões, em 2015, alta 211,5%. A produção e a penetração de produtos orgânicos na cadeia varejista do País também devem continuar avançando no mesmo ritmo acelerado observado nos últimos anos. Segundo o mesmo estudo da Euromonitor, as receitas do segmento subiram 172,7% em cinco anos e totalizaram US$ 79,2 milhões em 2015.

“Em fase de consolidação, o mercado de orgânicos cresce a passos largos no Brasil, incentivado pela preocupação da população com a saúde e os efeitos nefastos dos insumos químicos sobre os alimentos, as pessoas e o meio ambiente. Apesar da crise econômica que assola o País, à demanda por alimentos e bebidas com apelo saudável continua em alta, conforme mostramos nesta Edição 2016 do Catálogo. Atentos a essa tendência, produtores e processadores vêm ampliando o portfólio de produtos e a distribuição de orgânicos, fazendo-os chegar a vários pontos de venda e também a restaurantes, hotéis e padarias. Grandes indústrias que não ofereciam itens com apelo saudável estão se lançando nesse mercado, para não perder competitividade”, explica Ferrari Stella, que também é publicitário e desde 2001 se dedica a aproximar esses produtores à cadeia varejista.

Os números brasileiros, entretanto, poderiam ser ainda maiores se o setor não enfrentasse severas barreiras, especialmente na área de logística de distribuição, e se produtores e processadores tivessem melhor estrutura de gerenciamento de produtos nas lojas, enfatiza o executivo. “É imprescindível que os produtores do segmento verde se unam e tenham maior conscientização da importância e necessidade de gerenciar suas categorias no ponto de venda, para melhor atender o varejo e evitar rupturas na loja, a exemplo do que faz a indústria convencional, a fim de fazer seus produtos girar nas prateleiras”, alerta Ferrari Stella, para quem o produtor e o processador ainda estão muito longe de entender que essa função é deles, e não do varejo.

“Esquecem que os consumidores têm hábitos de consumo, que quando vão às compras, procuram produtos expostos no ponto natural, dentro da categoria, não em pontos extras. Dessa maneira, levam produtos convencionais e não sabem que existem similares orgânicos. Também não investem em sinalização no ponto de venda, nem mesmo utilizam as ferramentas do cross-merchandising para diferenciar os seus produtos na loja”, enfatiza Ferrari Stella, observando que esta edição do Catálogo apresenta também a visão das certificadores sobre o atual momento do mercado e estratégias de atuação, além de uma matéria especial sobre o setor de food service.

Lançamento na Biobrazil Fair e “Espaço Orgânico, Natural e Sustentável” no Circuito do Varejo Nacional

A sexta edição do Catálogo Nacional de Produtos Orgânicos, Naturais e Sustentáveis será lançada na Bio Brazil Fair e Natural Tech, que acontecem junto com a BioFach AL , a ser realizada de 8 a 11 de junho, no Pavilhão da Bienal, na capital paulista. Desde 2013, o Anuário é editado em português e inglês para atender a demanda de estrangeiros que visitam as feiras e eventos brasileiros direcionados a esse mercado. “Além disso, quase todos os produtores, processadores e industriais do setor verde têm grande interesse em exportar, uma vez que esse mercado está mais estabilizado lá fora, onde é mais forte a consciência sobre os benefícios da alimentação saudável para as pessoas e o meio ambiente.” Por isso, a Ferrari Stella também o distribuirá pela primeira vez em um evento no exterior, na próxima BioFach da Alemanha, maior feira de alimentos e bebidas orgânicas do mundo.

O anuário é parte de um projeto de marketing cooperado, intitulado de “Espaço Orgânico, Natural e Sustentável” que compõe ainda o Portal Varejo, Ilhas Temáticas em Feiras de Negócios de Varejo que já propiciaram diversas parcerias interessantes para o setor, palestras em entidades, bem como artigos em revistas trade e ações especializadas em Pontos de Venda. A realização de uma série de ações para fortalecer e unir o segmento verde perante o atendimento ao setor varejista e estimular em maior escala o consumo consciente e saudável.

“O objetivo do Catálogo é levar as categorias de orgânicos, naturais sem agrotóxicos, e funcionais (como produtos sem glúten, sem lactose, diet, light) ao setor varejista, estabelecendo uma importante ponte entre fabricantes e lojistas, e favorecendo o acesso de pequenos fornecedores a esse mercado. O Anuário foi criado para unir essas duas pontas. Muitas vezes produtores, processadores e indústrias do setor não têm um corpo comercial e não sabem bem ao certo as estratégias que o mercado necessita. O Catálogo veio para cobrir essa lacuna. Além dele, existem outros passos que contemplam e complementam todo o projeto, como as Ilhas Temáticas em feiras de negócios, como a APAS, EXPOFOOD, SUPERMINAS, bem como ações de merchandising, que envolvem desde o desenvolvimento de material sustentável dentro de todo esse conceito até o de embalagens que profissionalizem mais o produtos sem agredir o meio ambiente”, explica.

A tiragem da nova publicação é de 40 mil exemplares, todos distribuídos gratuitamente, assim como nas edições anteriores, durante a Biobrazil Fair, em outros eventos do ramo e para um mailing de varejistas e feiras de negócios. Os interessados podem solicitar o Catálogo por telefone (11 3647-9397) ou e-mail, acessando o portal www.espacoorganicoenatural.com.br. O custo será apenas o da postagem do correio de cada exemplar. Nesse mesmo portal, é possível ainda baixar gratuitamente a versão online.

Uma agência dedicada ao setor de orgânicos e naturais

**A Ferrari Stella Comunicação foi criada em 1989 na capital paulista e seguiu como uma agência de marketing e publicidade comum até seu sócio-fundador, Miguel Ferrari Stella, se encantar com o setor de produtos orgânicos e sustentáveis, em 2001. “Assisti a uma palestra e percebi o quanto os produtos convencionais podem ser prejudiciais à saúde dos consumidores. A partir daí, comecei a me interessar sempre mais, pesquisar muito e descobri como esse setor, que denomino segmento dos românticos, por ser ainda altamente ideológico, tinha muitas carências e lacunas a serem preenchidas, particularmente na capacitação de produtores e processadores para vender ao varejo”, lembra o executivo, ressaltando que àquela época o comércio desses produtos estava restrito a feiras livres e poucos varejistas de porte. A guinada definitiva da agência para atuar mais fortemente no setor viria apenas em 2004, quando desenvolveu basicamente com recursos próprios o projeto “Espaço Orgânico & Natural”, com apoio institucional da ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados e do IBD Certificações, lançado no ano seguinte. O projeto reunia várias ferramentas de marketing para interação de forma integrada de produtores e varejistas, como a 1ª. Cartilha Orientativa ao Varejo; exposição e degustação de produtos orgânicos e naturais, industrializados e in natura; realização de diversas palestras em associações regionais de supermercados; anúncios em revistas trade; e rodadas de negociações. “Parte da viabilização econômica do projeto se deu através da venda de cotas de patrocínio para 20 empresas do segmento”, recorda.

O projeto foi um sucesso e dele nasceu a primeira “Semana de Orgânicos em Supermercados”, que mais tarde seria transformada pela então ministra do Meio Ambiente, Marina da Silva, na “Semana Nacional de Produtos Orgânicos em Supermercados”, realizada sempre na última semana de maio em todo o Brasil. “Hoje, depois de tantos anos desta iniciativa e impulsionados pela demanda crescente de consumidores que buscam saudabilidade, os produtos orgânicos e naturais estão presentes em diversas seções de um supermercado, como também em outros segmentos do varejo, como padarias, bares e restaurantes, hotéis e muito mais. Vejo muito do nosso trabalho desbravador nesses resultados, de conseguir resolver questões problemáticas que eles não conheciam e que para nós, que já tínhamos bastante experiência com o varejo convencional, eram rotineiras”, reflete Miguel. A Ferrari Stella Comunicação atua no varejo desde 1993, criou a comunicação trade entre a indústria e o varejo, que lhe rendeu cinco prêmios do mercado publicitário. É, hoje, especializada em projetos integrados de comunicação trade com foco em gerenciamento de categoria, presta consultoria editorial e trade para a indústria e o varejo. O portfólio inclui extensa lista de clientes, ativos ou já atendidos, como a Nestlé Food Services, Visanet, Grupo Lund Editoras, Saint Gobain, Sadia, Unilever, Aurora Alimentos, ABCS – Associação Brasileira dos Criadores Suínos, entre os principais. “Temos parcerias com as principais entidades que regem o varejo, como ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados, ABAD – Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores, ABRASEL – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes e da AMITur – Associação dos Municípios de Interesse Turístico do Estado de São Paulo.”

*Miguel Ferrari Stella – Sócio-fundador da Ferrari Stella Comunicação e da Ferrari Trade & Marketing, é publicitário há 37 anos, consultor de Marketing Editorial e Trade Marketing da indústria e do varejo, também é diretor de Marketing Consultivo da AMITur (Associação dos Municípios de Interesse Turístico do Estado de São Paulo) e da ABRESI (Associação Brasileira de Gastronomia, Hospitalidade e Turismo). Ganhador de cinco Prêmios: três Colunistas Brasil, pela ABRACOMP (Associação Brasileira dos Colunistas de Marketing e Propaganda) e mais o prêmio de Feira em Comunicação Trade (Grupo Lund Editoras Associadas) e o Top of Mind Brasil (INBRAP – Instituto Brasileiro de Pesquisa de Opinião Pública). Especializado em planejamento estratégico de comunicação e desenvolvimento de categorias no varejo, em 1994 criou a comunicação trade da indústria com o varejo, mudando a linguagem publicitária entre esses setores. Em 2005, criou o “Espaço Orgânico & Natural”, em parceria com a ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados), IBD Certificações e o MMA (Ministério do Meio Ambiente), o que impulsionou a criação da “Semana Nacional de Alimentos Orgânicos em Supermercados”.
Serviço: Lançamento do Catálogo Nacional de Produtos Orgânicos, Naturais e Sustentáveis, na BIO BRAZIL FAIR | BIOFACH AMÉRICA LATINA – 12ª Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia
Data: De 08 a 11 de junho/Horário: Das 11h00 às 19h00
Local: Pavilhão da Bienal do Ibirapuera – Parque do Ibirapuera, portão 3 – Av. Pedro Alvares Cabral, s/n

Para mais informações, por favor, contate:
Galeria de Comunicações imprensa@galeriadecomunicacoes.com.br
11-3803-8590/11-3672-0391/11-99645-3499
Luciana Juhas juhas@galeriadecomunicacoes.com.br
Mariana Salem imprensa2@galeriadecomunicacoes.com.br