Jovens brasileiros criam startup que envia carta do Papai Noel para o mundo todo

No primeiro semestre de 2017, o e-commerce no Brasil faturou R$21 bilhões, crescimento nominal de 7,5% ante o mesmo período de 2016, quando foram registrados R$19,6 bilhões. O número de pedidos aumentou 3,9%, de 48,5 milhões para 50,3 milhões, e o tíquete médio registrou expansão de 3,5%, passando de R$403 para R$418, é o que aponta a 36ª edição do relatório Webshoppers.

Diante desse crescimento do e-commerce no mundo todo, em 2015 os jovens empreendedores Dhemes Andersen, Diego Fávero e Wilson Dorigon Jr. investiram 5 mil reais para dar início a uma “fábrica de sonhos”. “Queríamos levar às crianças momentos de alegria, esperança e reflexão. A carta do Papai Noel resgata algo que tínhamos em nossa infância: a tradição de enviar e receber cartas pelos Correios, e não e-mails ou cartões virtuais como se vê nos últimos anos”, relata Fávero. Na época, aproveitaram a alta do dólar e decidiram medir seus esforços nas vendas somente para fora do Brasil. Neste ano a entrega se estenderá também ao território nacional.

Para receber o mimo, o cliente precisa apenas escolher um dos três modelos de carta do Papai Noel, enviar o nome da criança que será presenteada e fazer o pagamento online. A partir daí, a fábrica de sonhos entra em ação para a magia acontecer. No mesmo dia o pedido é enviado e o comprador recebe em alguns dias os itens que deverão ser entregues à criança: o envelope personalizado com selos e carimbo do Polo Norte, a cartinha parabenizando-a pelo bom comportamento com os pais e estudos, um certificado “nice list” personalizado e um pacotinho de neve mágica, “colhido pelo Elfo, no quintal do Noel”.

“A ideia da carta do papai noel só surgiu um mês antes do natal. Tivemos um pouco mais de um mês para preparar tudo. Corremos com a criação das artes, gráfica, fornecedores e a logística em pouquíssimo tempo. Chegávamos em casa à noite e nos transformávamos em papai noel, produzindo até a madrugada as cartas que deveriam ser enviadas no dia seguinte. Foram 20 dias intensos de vendas trazendo um resultado positivo de quase US$10.000”, conta Dorigon.

Na época, focaram no marketing de influência, que ainda engatinhava no país, mas que já era muito forte lá fora. Dorigon, que é fundador do FashionKids e um dos principais influenciadores digitais no segmento de moda infantil lembra que teve o apoio de “mães influenciadoras”, de diversos países, para alcançar o sucesso. “Em 2017, além dos influenciadores, investimos forte em mídias no Facebook e Instagram, algo que trago na bagagem em meu outro projeto, a CutiCutiBaby. Dobramos nosso investimento e nossa equipe”, conta Dhemes.

Neste ano os jovens planejam um crescimento de 200% no faturamento e querem ir além das vendas: parte do lucro será revertido a algumas instituições de São Paulo, onde levarão o Papai Noel para entregar brinquedos, esperança e alegria para todos. “E não é só criança, não. Muitos adultos e idosos também gostam do Papai Noel e queremos que essa magia chegue até eles, também”, finaliza Andersen.

A carta do Papai Noel é vendida no Brasil pelo site Amor Único (www.amorunico.com.br), o qual também produz cartinhas de personagens, entre elas a Carta da Fada do Dente, Carta da Elsa, Carta do Batman, Carta das Princesas, entre outras. Já para vendas internacionais, a carta do Papai Noel pode ser encomendada no endereço http://www.santasendsletter.com.