Insatisfeitos profissionalmente, brasileiros procuram renovação na carreira

Atualmente, na perspectiva profissional do brasileiro, não só o desemprego, que atinge quase 14 milhões de pessoas, é uma realidade desagradável. Profissionalmente abalados, mais da metade dos trabalhadores com carteira assinada no país almeja por transição de carreira. De acordo com dados do Instituto Locomotiva, 56% das 33,3 milhões de pessoas inseridas no mercado formal redirecionariam suas carreiras em busca de felicidade no trabalho. De um total de 18,42 milhões de pessoas que buscam essa transição, 25% admitem já estarem tomando medidas para efetuar este processo.

A incerteza de sucesso e a alta concorrência por poucas vagas, no entanto, podem fazer com que a recolocação profissional seja uma tarefa pouco simples. Segundo Bruno Cunha, Headhunter e Master Coach de Carreira, é preciso entender o aumento de profissionais que apresentam interesse em racionalizar sua carreira profissional, compreender o seu grau de empregabilidade e descobrir como ampliar sua competitividade no mercado de trabalho.

Gestão de novos percursos

A taxa de trabalhadores descontentes profissionalmente não diz respeito apenas à contestação salarial. Ainda segundo a pesquisa do Instituto Locomotiva, 63% desses profissionais dizem estar trabalhando mais do que estavam há dez anos e 60% afirmam buscar por vagas na transição profissional que os contemplem não só no quesito salarial.

Em pesquisa realizada pela Pontus Consultoria em RH, com participação de mais de 700 entrevistados, constatou-se que mais 50% dos entrevistados estão insatisfeitos com o cargo atual e buscando oportunidades. “A insatisfação é um processo interior do indivíduo, quando estamos insatisfeitos precisamos resolvê-la. Ela é minha e não está fora de mim, para isso se faz necessário racionalizar e compreender as causas deste evento.” diz Bruno Cunha.

Enquanto alguns retomam novos cursos de graduação e buscam novos rumos, a insatisfação com o trabalho de modo geral também atinge mais de metade dos entrevistados. “Desejo fazer o mercado de trabalho refletir sobre o tema “carreira”, sua prática em gerenciá-la e suas consequências na vida de um indivíduo”, afirma Bruno, Headhunter e Master Coach de Carreira. Na renovada competição qual inserem-se esses profissionais em transição, antes consolidados no mercado de trabalho, ter apoio profissional de um Coach nesta busca proporciona suporte e orientação.

Abaixo, alguns direcionamentos para aumentar a satisfação profissional, segundo Cunha:

1. Mapear as competências profissionais – adquirir uma visão sobre o próprio perfil profissional envolvendo pontos fortes e oportunidades de melhorias.

2. Compreender os motivadores profissionais – entender os estímulos que servem de combustível para seguir em frente na busca da realização.

3. Reconhecer as emoções positivas – perceber as emoções geradas pelos motivadores pessoais.

4. Identificar os sabotadores pessoais – tomar consciência dos fatores que impedem ou paralisam o profissional.

5. Lidar com os sabotadores – aprender e praticar como lidar com os sabotadores se apropriando de recursos que minimizam a fragilização.

Assessoria na nova carreira

Com serviços de análise de empregabilidade e assessoria de carreira, Bruno Cunha estimula seus clientes ao uso eficaz de técnicas modernas de gestão de recursos humanos através de mais de 10.000 horas de assessoria de carreira atendendo executivos e profissionais em todo o Brasil. Atendendo presencialmente e online, visa otimizar a prática do gerenciamento da carreira, ampliando os sentimentos de realização e felicidade na vida profissional.

Conheça mais sobre Bruno Cunha: http://www.coachbrunocunha.com

Website: http://www.coachbrunocunha.com