Empresas aéreas têm reações diferentes durante passagem do furacão que devastou a Flórida

O furacão Irma, que atingiu a Flórida — nos Estados Unidos —, no ano passado, causou um forte impacto econômico para o país, por conta da destruição em massa.

A forte tempestade e o risco de morte resultaram numa ordem de evacuação da população. Diversos canais de televisão divulgaram a informação. A notícia chegou até às companhias aéreas, que enxergaram a situação como oportunidade. Entretanto, apenas uma delas teve uma estratégia eficaz. Duas empresas adotaram táticas diferentes e só uma delas comemorou o sucesso no final.

Na ocasião, uma delas teve a ideia de reduzir suas tarifas para aqueles que quisessem sair da Flórida para US$ 99. Além disso, decidiu enviar aviões adicionais para apoiar a evacuação. A segunda, contudo, recebeu inúmeras críticas nas redes sociais ao subir as passagens para incríveis US$ 1.700, como pode ser visto neste texto . O fato, inclusive, fez com que as pessoas recordassem de um caso de crise dessa companhia tempos antes, quando policiais arrastaram um passageiro para fora da aeronave.

As marcas não têm mais controle

Antigamente, antes do boom da internet, as marcas podiam controlar uma divulgação. Ao usar meios de comunicação tradicionais, as empresas decidiam aquilo que iriam publicar e, consequente, sua reputação poderia ser bem vista pelo público. Contudo, atualmente isso já não é mais possível. Qualquer incidente negativo ou positivo vira notícia na hora, e o público em geral espalha rapidamente a notícia.

“As pessoas adoram ouvir daqueles que eles conhecem e confiam. Eles não confiam na mensagem da marca” – Mark Schaefer

Segundo uma pesquisa da Nielsen, 83% dos consumidores acreditam mais em recomendações de pessoas sobre qualquer outra forma de publicidade. Acontece que os indivíduos não querem saber de marcas que falam e enchem de publicações delas próprias. Na verdade, o que eles querem são conteúdos e soluções que serão úteis para o próprio benefício.

A repercussão sobre as companhias aéreas

A primeira empresa foi elogiada por influenciadores digitais em diversas redes sociais por conta da redução nas taxas e preocupação com os moradores da região que foram afetados pelo furacão. Nos Estados Unidos, inúmeras celebridades fizeram questão de mencionar a empresa.

Por outro lado, a empresa que decidiu fazer o contrário e elevar os preços não foi lembrada e os poucos comentários e citações que saíram foram negativos.

Takeaways: o que tirar de proveito com esse caso

Qual lição pode se tirar do sucesso obtido pela companhia que reduziu as tarifas com influenciadores? A internet e redes sociais são uma oportunidade enorme para as empresas. A ideia é saber como aproveitar tais recursos a seu favor. As empresas devem ter essa mentalidade de criar conexão com as pessoas e atrair cada vez mais clientes para o seu negócio com um bom relacionamento.

A empresa elogiada na mídia, por exemplo, achou uma solução para atrair mais clientes, dando a eles o que era necessário naquele momento de urgência: uma passagem barata para escapar do furacão.

A outra companhia, por sua vez, pensou em lucrar com a situação sem pensar nos clientes. Seja amigo do seu público e nunca se esqueça dele quando elaborar qualquer ação. O marketing de influência pode beneficiar de diversas maneiras, podendo estabelecer grandes conexões e render campanhas espontâneas, desde que as marcas façam a parte delas.

Você conhece o Influency.me ? A plataforma de marketing de influência do Comunique-se permite encontrar os melhores influenciadores para o seu tipo de negócio, além cria um relacionamento com eles por meio da escada de influência.