Empreendedor acredita em um Brasil propício para o empreendedorismo e defende 10 passos para o sucesso das empresas

Quem deseja empreender ou que já possui um negócio, mas precisa impulsionar resultados e conquistar mais clientes, deve ficar atento: a cada 10 empresas abertas, seis fecham no Brasil antes dos primeiros 5 anos de atuação.

O dado, do IBGE, foi o alerta para que o empreendedor inovador e construtor de novos negócios, William Weber, reunisse em um livro os principais ensinamentos e dicas para qualquer empresa prosperar. O livro  “10 passos mágicos para o sucesso” é resultado de mais de 15 anos de experiência, entre pesquisas e desenvolvimento de novos negócios, na gestão de empresas.

O autor, que junto ao livro está fazendo um workshop inédito no Brasil, ressalta nesta breve entrevista a importância de um conteúdo com linguagem acessível e que revele métodos práticos para o dia a dia de quem está à frente de uma empresa: sair da cadeira e colocar as ideias em prática é o principal.

O que levou você a criar os 10 passos mágicos para o Sucesso?
Sempre fiquei impactado com a quantidade de empreendedores que dão errado no Brasil. São 6, a cada 10 empresas, que fecham nos primeiros anos de atividade. Esse número demonstra que uma grande quantidade de empreendedores (de pequenos e médios) precisam de ajuda. Geralmente, quem fecha uma empresa é por falta de conhecimento de gestão, e não por ter arriscado demais. E isso acontece desde um arquiteto que montou uma loja de sapatos a um veterinário que abriu a petshop. Minha missão com os 10 passos mágicos é compartilhar de uma maneira simples, prática e aplicável para transformar clientes em fãs e facilitar a vida desses empresários de todos os segmentos e tamanhos.

Pode destacar alguns métodos que são citados no livro?
O livro conduz o leitor para uma reflexão sobre as áreas essenciais da empresa. No primeiro capítulo, em  menos de 15 minutos, demonstro como definir o diferencial de sucesso da empresa e saber onde o planejamento e as ações devem focar. Algo didático e direto, sem aquilo de várias  planilhas e reuniões para colocar a empresa rumo ao sucesso. Nos outros 9 capítulos, atesto ferramentas focadas para gestão de pessoas, contratação, marketing, marketing digital, vendas, pós-vendas, inovação e finanças. Entre todas, a que mais me impressiona pela facilidade de colocar em prática é a de finanças.
A Disney tem uma frase que é keep the money in the show. Quer dizer  que, toda vez que você for tomar uma decisão que necessite gastar dinheiro, só será um investimento caso isso esteja visível para o cliente. Cansei de ver empresas que gastam muito com o melhor computador para o caixa, um grande software para controle de estoque, prateleiras lindas para a cozinha e economizam na luminária da loja ou no tapete da sala de esperas. Conquistar clientes em todos os segmentos tem a ver também com investir certo seu dinheiro.

Por que você escolheu a Disney e empresas do entretenimento para usar como estudo de caso? O que esses empreendimentos do exterior têm a ensinar para os negócios do Brasil?
A razão pela qual escolhi empresas do entretenimento como os principais cases é porque o modelo de gestão delas faz com que os resultados em termos de vendas, satisfação de clientes, funcionários e ticket médio seja muito superior a qualquer outro segmento. Entre as minhas pesquisas, um dia me perguntei o que a empresa de um autônomo, um médico ou qualquer empreendedor precisa fazer para virar referência no seu segmento? Foi estudando a Disney, o Futuroscope, e cases brasileiros, como a cidade de Gramado, que cheguei em um método único e inovador. My design.

Qual a dica que você daria para um empreendedor de pequena e média empresa?
Execução. Executar é a coisa mais importante que um dono de empresa pode fazer. Definir processos, colocar detalhes, melhorar o produto e o pós-vendas são importantes. Mas, o principal mesmo, é não demorar para fazer as coisas e sair da cadeira. Quanto antes o gestor decidir por uma reformulação na equipe, colocar ou não um produto no estoque, ou tomar alguma atitude, ele colherá resultados. Se ele não fizer, talvez não dê nem tempo de desenvolver o negócio. É por isso que o livro “10 Passos Mágicos para o sucesso” já virou curso, workshop e logo será também conteúdo para internet. A gente não pode perder tempo para passar isso as pessoas.

No cenário econômico atual do Brasil existe possibilidade de empreender? Por quê?
Com as dificuldades políticas e econômicas,  é normal a gente se assustar antes de tentar um novo negócio. O Brasil anda imprevisível sim, mas os nossos piores momentos são coisa do passado.
Hoje temos o maior número de empreendedores da nossa história e eu não vejo forma mais justa de distribuição de renda e igualdade. Acreditar no nosso país e investir aqui é acreditar e praticar a abundância. Eu sou um otimista, e sempre vou ser um daqueles que acredita.

Complementar ao livro, William Weber realizará workshops em várias cidades do Brasil, começando por Porto Alegre, no dia 28 de julho. Ainda serão confirmadas as datas para Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Manaus. Mais informações estão disponíveis no site www.williamweber.org ou nas redes sociais do inovador @cabecadecoringa .

Website: http://williamweber.org/