E-commerce cresce 12% em 2017 e projeção para 2018 vai a 15%, segundo levantamento

Após três anos em decadência, o comércio nacional enfim pôde respirar aliviado em um Natal de altas nas vendas. De acordo com o indicador de atividade do varejo brasileiro, medido pela Serasa Experian, no período de 18 a 24 de Dezembro, as vendas subiram 5,6% (sem levar em consideração a inflação) em relação ao mesmo período em 2016. A Serasa também afirma que o desempenho é o melhor desde 2011.

De 22 a 24 de Dezembro, final de semana do Natal, houve um aumento singular de 0,8% no comércio de todo o país em comparação com o final de semana equivalente ao de 2016 (de 16 a 18 de Dezembro). Apenas na capital paulista, no final de semana do natal, as vendas subiram 5,2% em relação a mesma semana do ano anterior. Os shoppings também comemoraram um Natal mais positivo, após dois anos de queda.

De acordo com a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), o movimento nas lojas gerou cerca de R$ 51,2 bilhões, um crescimento nominal (sem contar a inflação) de 6% nas vendas. No ano todo, as lojas de shoppings faturaram R$ 147,5 bilhões, um aumento de 5% em relação a 2016. Apenas no período que compreende o Natal o movimento nas lojas foi de R$ 51,2 bilhões, o que representa um crescimento de 6% nas vendas.

Projeções para 2018

O incremento anual ficou acima dos 4% previstos pela Alshop e, para 2018, espera-se continuar com a melhora dos números, mesmo sendo ano de Copa e de Eleições (o que pode pesar de forma negativa na decisão de compra dos brasileiros durante esses períodos). De acordo com a associação, o crescimento do setor, ainda assim, deve ser maior se comparado aos anos anteriores. É possível presumir que o comércio terá um 2018 seguramente melhor que 2017, mas será apenas uma compensação, e não um estouro de vendas.

Dentre os segmentos mais vendidos pelos centros comerciais em 2017 estão os brinquedos (10%), as bijuterias, óculos e acessórios (9,2%), e os produtos para pets (7,5%). Tais tendências devem seguir pelos próximos tempos. A migração de compras da esfera física para as lojas online também é outra propensão do consumo no país. No ano passado, a modalidade representou 4,3% das vendas do varejo no país, enquanto que em 2016 a participação foi de 3,8%.

Fatores da recuperação

A Serasa e a Alshop concordam sobre os fatores que contribuíram para alcançar tais números. Entre eles, os sinais lentos e graduais da recuperação da economia, o programa de liberação de contas inativas do FGTS (responsável por implantar 44 bilhões de reais na economia) e a redução da taxa básica de juros para 7%.

Para a Alshop, também contribuiu para o crescimento o fato de 12 shoppings centers terem sido abertos no ano de 2017 (5 deles nas capitais do país e 7 no interior). Esses novos pontos de compras trouxeram para o mercado cerca de 2 mil novas lojas e criaram 20,6 mil novos empregos.

No e-commerce uma das lojas que se destaca é a É Pra Presente Uma loja de brinquedos online, onde se encontra diversas opções para meninos e meninas de todas as idades, e produtos com certificação de segurança e qualidade do INMETRO.