Data-Driven Marketing e a estratégia de negócios na Era Digital

A quantidade de dados no mundo está dobrando a cada dois anos e atingirá 40 trilhões de gigabytes em 2020, de acordo com estatísticas do Gartner e IDC – Instituto de Inteligência de Mercado. Em 2020, a quantidade de dados no mundo terá aumentado 50 vezes desde 2011. Portanto, há dados demais para gerenciar usando processos tradicionais. Os processos que as empresas utilizam para gerenciar os dados e as possibilidades de analisar esses dados de forma estratégica para gerar valor para seus negócios serão um importante diferencial competitivo nos próximos anos.

O termo Data-Driven Marketing se refere ao uso dos dados para análise e tomada de decisão empresarial. A partir dos dados coletados dos clientes, a empresa pode fazer análises e projeções preditivas para entender o comportamento do consumidor agora e no futuro, atuando de forma mais assertiva no desenvolvimento de suas estratégias, desde seu posicionamento de mercado até a criação de novos produtos, serviços e ações de marketing e branding. As gigantes da tecnologia utilizam soluções de Data-Driven Marketing de forma eficaz para direcionamento estratégico e apoio à tomada de decisões já há algum tempo, como é o caso da Amazon, do Facebook, do Google, dentre outras.

Como as pessoas estão cada vez mais conectadas na web, disponibilizando seus dados constantemente, há uma grande oportunidade para que as empresas possam ajustar seu planejamento e suas ações estratégicas de marketing para que atinjam seu público de forma mais eficaz, gerando mais engajamento dos clientes e impactando os resultados em vendas. Fica evidente então essa tendência de que as empresas invistam em soluções tecnológicas de marketing se quiserem se manter competitivas num ambiente cada vez mais digital.

Ponto de atenção – Há uma tendência global no desenvolvimento de leis e normas para utilização dos dados das pessoas pelas empresas, com o objetivo de proteger os clientes e “nacionalizar” a utilização dos dados dentro das fronteiras dos países. Isso aumenta o desafio de planejar a longo prazo como as organizações operacionalizarão suas estratégias e ações voltadas a marketing e análise de dados.

De qualquer forma, não há dúvidas de que essa tendência da criação de novas tecnologias para análise dados em marketing será consolidada, e poderá ajudar as empresas a melhorarem seus resultados. É importante compreender essas novas tecnologias, o cenário da fragmentação de dados, e as questões regulatórias que limitarão o uso dados de seus clientes. Esse é o caminho para ajustar a estratégia empresarial às análises automatizadas e preditivas do comportamento de seus mercados.

Prof. Dr. Cláudio Carvajal – Coordenador Acadêmico do curso de Marketing – Digital & Data Science da FIAP. http://www.fiap.com.br/graduacao/