Como o Ensino a Distância tem auxiliado milhares de pessoas a se desenvolverem de forma prática e eficiente no Brasil

Não faz muito tempo que começou no Brasil a prática do ensino a distância, de forma tímida e ainda desestruturada. Entretanto com o passar dos anos, pouco mais de uma década, o ensino a distância se tornou algo concreto.

Hoje o ensino a distância, ou educação a distância, como queiram chamar, é a modalidade de aprendizagem que mais cresce no Brasil.

Segundo o Ministério da Educação (MEC), levando em consideração as 3,3 milhões de matrículas do ensino superior realizadas entre os anos de 2003 e 2013, um terço desse número correspondia a cursos a distância, e esse número não para de crescer. Em 2014, segundo dados da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED), ao todo 3,8 milhões de alunos estavam matriculados.

As aulas a distância que conhecemos hoje, representada pela sílaba EAD, é bem diferente das primeiras tentativas dessa prática.

Segundo Maia & Mattar, 2007; Marconcin, 2010; Rodrigues, 2010; e Santos 2010; em 1904 aconteceu a primeira tentativa de ensino a distância, através do Jornal do Brasil, que oferecia um curso profissionalizante para datilógrafo por correspondência, esse é o primeiro marco que se tem conhecimento, sobre essa modalidade no Brasil.

Ao passar dos anos inúmeros projetos aconteceram, e foram tomando forma, dentre esses, duas instituições tiveram papéis fundamentais para que o ensino a distância fosse aceito e ganhasse potencialidade em todo território brasileiro.

O Instituto Monitor, que surgiu em 1939 em São Paulo, foi o pioneiro na modalidade de aula à distância, e em 1941 nasceu o Instituto Universal Brasileiro, fundado por um ex-sócio do Instituto Monitor, no auge de 76 anos de existência, o instituto já formou mais de 4 milhões de alunos e conta hoje com aproximadamente 200 mil estudantes matriculados.

A criação da Secretaria de Educação a Distância (SEED), pelo MEC, em 1996, foi um fator precursor do desenvolvimento do EAD no Brasil, procurando sempre tornar a educação a distância uma categoria mais democrática e de qualidade.

A educação a distância iniciou oficialmente em 1996, junto à criação da Secretaria de Educação a Distância, através da lei estabelecida em 20 de dezembro de 1996, contudo apenas regulamentada quase uma década depois, em 20 de dezembro de 2005.

Acredita-se que o motivo da aceitação do ensino à distância está relacionado às vantagens oferecidas aos alunos, por consequência gerando essa explosão de crescimento do ensino a distância no Brasil.

O aluno optante por essa categoria conta com inúmeras vantagens, como a comodidade de estudar em casa sem correr riscos ao pegar trânsito, a flexibilidade de estudar a hora que quiser, sem contar na especificidade dos cursos disponíveis, a qualidade dos cursos é outro diferencial, e é claro, o preço acessível, além do investimento ser de baixo custo em relação aos cursos presenciais, outras despesas deixam de existir, como as de alimentação, transporte e afins.

Conforme Dr. Otto Peters, professor alemão, que contribuiu muito para o desenvolvimento da educação a distância, definiu em 1973, “ensino a distância, é um método racional de partilhar conhecimento, habilidades e atitudes, através da aplicação da divisão do trabalho e de princípios organizacionais, tanto quanto pelo uso extensivo de meios de comunicação, especialmente para o propósito de reproduzir materiais técnicos de alta qualidade, os quais tornam possível instruir um grande número de estudantes.”

Com essa definição é possível perceber que o EAD não se limita em apenas um campo de estudo, mas a todo conteúdo que possa ser compartilhado a distância.

Para se ter uma noção de como essa modalidade de ensino oferece um oceano de oportunidades, hoje em dia há pessoas que estão aprendendo a tocar instrumentos musicais através da internet.

Pensando nisso é que Ramon Tessmann criou o AprendaPiano.com, uma escola de piano online, que busca formar músicos extraordinários e vem fazendo esse trabalho há mais de 10 anos, já tendo formado mais de 10 mil alunos em 17 países.

Ramon Tessmann, idealizador do projeto Aprenda Piano, escritor e empreendedor digital, toca teclado desde seus 11 anos de idade, e após inúmeros insucessos, foi sozinho que aprendeu a tocar.

O Método M30, atual curso para iniciantes oferecido pela escola Aprenda Piano, é destinado para os alunos que desejam aprender piano começando do zero, e que em até 30 dias já estarão tocando sua 1ª música.

Assim como os demais cursos online, no Aprenda Piano não é diferente, após realizar a matrícula, o aluno tem acesso ao ambiente virtual de aprendizagem, o AVA, onde terá acesso a todo conteúdo necessário para realização do curso.

Um diferencial dos cursos online e que vem agradando muitos alunos, é a possibilidade de ver depoimentos de quem já realizou determinado estudo.

Além desse diferencial, a oportunidade de poder ter o reembolso caso o curso não atenda as expectativas, também é uma característica própria do ensino a distância, e que dá uma garantia ao aluno.

Um dado em especial, observado na pesquisa realizada pela Udemy, marketplace de ensino e aprendizado online, em 2016, mostra que 21% dos brasileiros matriculados em EAD, estão inscritos em cursos nas áreas de hobbies e habilidades humanas, com destaque para cursos de música e fotografia.

Informações como essa é que impulsionam o mercado a investir ainda mais nesse segmento, buscando diversas formas de atender seus alunos, de modo prático, rápido e com extrema eficiência, para que com apenas um clique o estudante já tenha acesso ao conteúdo desejado.

E esse um clique já vem se tornando realidade, em muitos casos, o aluno preenchendo os dados e se matriculando no curso, recebe automaticamente o acesso ao conteúdo e já pode começar a estudar assim que finalizar a compra.

A expectativa é que o ensino a distância continue em expansão, democratizando a educação e desenvolvendo os alunos que apresentam o desejo de aprender cada vez mais.
Para começar a estudar de forma online agora mesmo, tudo o que você precisa fazer é escolher seu curso desejado e ter o mínimo de disciplina necessária para estudar a distância.