Como a Machine Learning está revolucionando o cenário dos negócios

É notável a presença de inteligência artificial (AI) e machine learning (ML) atualmente, seja por reconhecimento de fala, compras em lojas ou automações. Hoje, cada vez mais, é comum estar diante de uma situação em que uma máquina, através do comportamento do usuário, fez uma escolha para ele. Através dessa tecnologia, a máquina identifica os padrões que podem ser utilizados em análises e sugestões, gerando possibilidades de relacionamento mais próxima entre consumidor e empresa.

Não é surpresa para ninguém abrir o Netflix e receber sugestões de streaming que estão próximas do gosto do usuário. Assim como receber e-mails de uma loja online que o consumidor visitou com ofertas personalizadas. Esses são exemplos simples de mecanismos baseados na aprendizagem da máquina que, através de empresas de tecnologia, desenvolvem soluções completas para cada negócio. Seguindo uma tendência mundial, os mais variados tipos de empresas estão investindo nessa tecnologia para obter resultados mais precisos e escalonáveis. 

Segundo uma pesquisa recente divulgada pela IDC Global, o mercado de Inteligência Artificial e Machine Learning terá um crescimento anual de 46,2%, chegando a U$ 52 bilhões em 2021. Isso representa um investimento no alcance de mercado para essas soluções inteligentes em que os processos sejam mais rápidos na maneira de lidar com os dados. O desenvolvimento desse mercado só cresce através da procura por empreendedores e gestores que precisam de sistemas mais práticos nos seus negócios.

Mas afinal, o que é Machine Learning?

A primeira pessoa que usou o termo “Machine Learning”, ou traduzido “aprendizagem de máquina” provavelmente foi o americano Arthur Samuel, que desenvolveu um dos primeiros programas de computador para jogar damas. Em 1959, ele definiu o aprendizado de máquina como tecnologia que dá aos “computadores a capacidade de aprender sem serem explicitamente programados”. 

Alguns cientistas da computação propuseram mais definições matemáticas para o aprendizado de máquina, mas a definição de Samuel continua a ser uma das mais precisas e fáceis de entender. Ela faz parte da inteligência artificial como um segmento focado na criação de soluções que se assemelham ao processamento de dados que o cérebro humano seria capaz de fazer, mas de maneira mais volumosa e a base de cálculos.

A tecnologia empregada para essas soluções já até causou discussões sobre a retirada de postos de trabalho para a contratação de robôs. No entanto, esse medo está ficando cada vez mais no passado, visto que as próprias empresas estão percebendo a necessidade de humanos e máquinas trabalharem juntos, de acordo com pesquisas e relatos coletados pela revista digital CIO.

Ainda mais presente nos negócios

Há uma década, poucas pessoas reconheceriam a ideia de machine learning. Hoje, no entanto, o mercado é muito diferente e está em alta. Em um estudo da PEGA, descobriu-se que 72% das pessoas já compreendem o que é inteligência artificial e apenas 28% apresentam algum tipo de desconforto com a tecnologia. Não é surpresa o aumento da procura de empresas e que seus esforços estejam tão focados nisso.

Em um momento de mercado em que cada vez mais o tempo é um fator determinante aliado a personalização de soluções para cada usuário, a inteligência artificial se torna um aliado no negócio. Através de machine learning, o sistema auxilia as empresas na análise de dados para a tomada de decisões com as práticas empregadas nos sistemas para diversas atividades de melhoria.

Seja através de atendimento por assistentes virtuais aos usuários ou detecção de fraudes, essa tecnologia possibilita que o gerenciamento da empresa otimize processos. Algumas soluções automatizadas já oferecem gestão de estoque e vendas, envio de e-mails com base no rastro digital, previsão de receitas de mercadoria e outros que oferecem uma vantagem expressiva aos concorrentes que não possuem métodos digitais de gerenciamento.

Sucesso na área

Segundo informações divulgadas pelo Gartner, Inteligência Artificial e Machine Learning serão duas das cinco principais prioridades de investimento para mais de 30% dos CIOs (executivos de tecnologia) até pelo menos o ano de 2020. No entanto, a matéria alerta para a necessidade de as empresas procurarem por soluções que sejam compatíveis com a jornada do usuário de cada negócio.

De acordo com Nivaldo Júnior, CTO do Citrus, “Inteligência Artificial e Machine Learning são essenciais para as empresas extraírem o máximo dos dados armazenados em seus sistemas. Utilizando Machine Learning é possível desenvolver soluções que identificam padrões e aprendem com esses padrões, chegando ao ponto de prever comportamentos. Atualmente utilizamos Machine Learning na análise de jornada dos clientes no Citrus, através delas conseguimos antecipar necessidades dos clientes, possibilitando a identificação de padrões a partir do sistema que melhoram e potencializam as vendas, proporcionando uma melhor experiência no atendimento”, analisa. 

O uso dessas ferramentas possibilita inúmeras formas de obter sucesso quando a empresa define com clareza as estratégias que a utilização dessa tecnologia agregará ao plano do negócio. Ter uma empresa parceira nesse processo facilita observar a real necessidade e implementação da solução.  Júnior complementa exemplificando como a utilização de recursos de IA impactaram na área comercial de um negócio “Além da aplicação de Machine Learning para previsão de comportamento, utilizamos a inteligência artificial em outras áreas da plataforma, como por exemplo, para agilizar os processos de vendas. Os recursos de IA são aplicados para análise automática de documentos enviados pelos vendedores durante o processo. Todo documento enviado para o Citrus é analisado pelo Citric Bain, nossa IA, que extrai os dados de forma automática e valida a autenticidade  e verifica se todos estão corretos. A utilização deste recurso reduziu drasticamente o processo de vendas das empresas que possuem o sistema implantado, pois antes da solução, a conferência dos dados era manual, o que levava um tempo muito maior e estava suscetível a erros”.

Uma das empresas de maior reconhecimento na área de comunicação empresarial, a Digivox, com mais de 13 anos de mercado, possui no seu grupo de empresas o Citrus, uma plataforma especializada na Experiência do Cliente. A empresa tem mais de 100 mil usuários de comunicação IP instalados e é provedora de soluções para grandes clientes, públicos e privados. Com soluções específicas para cada negócio, ela demonstra que estabelecer metas de eficiência ao desenvolver soluções com Inteligência Artificial e Machine Learning é uma forma de mostrar valor aos clientes e melhorar também o relacionamento com eles.

Website: http://www.citrus.cx