Alimentação saudável é opção viável tanto para empreendedores enquanto negócio como para atletas em busca de qualidade de vida e corpo fitness

A busca por um estilo de vida mais saudável, pelo menos na alimentação, fez com que uma série de pessoas identificasse nessa tendência um negócio para empreender. E não é à toa, segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a categoria movimenta anualmente cerca de US$ 35 milhões e faz do Brasil o quarto maior mercado do mundo.

A abrangência do segmento se justifica pelo fato de que, para 28% dos brasileiros, consumir alimentos nutricionalmente ricos é muito importante. Além disso, 22% da população opta por comprar alimentos naturais e sem conservantes.

Muitas pessoas sofrem por não ter a praticidade de se alimentar de forma saudável como gostariam devido à correria do dia a dia, a falta de opções de comida saudável de verdade, a enxurrada de restaurantes e lanchonetes “pseudo-saudáveis” e supermercados/empórios que vendem, em sua maioria, produtos industrializados ou até pelo desconforto de levar sua comida de casa para o trabalho ou academia.

Atualmente a variedade de academias e modalidades esportivas oferecidas tais como cross-fit, funcional, lutas, assessorias esportivas para corridas ou até mesmo triathlon é muito grande, mas o outro principal pilar que sustenta o mundo fitness ainda é carente de opções e, como consequência, muitas pessoas se frustam por se exercitar bastante e não alcançar seus objetivos. Sejam eles estéticos, voltados à melhoria da saúde ou da performance.   

Pedro Simon, publicitário, surfista, atleta de ultramaratonas e amante da culinária fitness, também passou muito tempo por essa situação, até que teve a ideia de desenvolver seus próprios alimentos para que pudesse aumentar sua performance nas provas ou mesmo levar uma vida mais prática e saudável. “Percebi que, para alcançar os níveis de performance que meu irmão e eu procurávamos alcançar, não seria possível sem opções de alimentos (salgados ou doces) com o equilíbrio correto entre proteínas, carboidratos, gorduras boas e fibras e que também fossem, se possível, sem lactose, sem glúten e sem açúcar. Investi muito tempo em leituras e pesquisas sobre o que há de mais inovador e também em uma cozinha industrial, que chamo de laboratório, e lá criamos produtos fit de verdade que não só atenderam a mim como também a amigos e atletas que buscam uma alimentação bem mais saudável, de qualidade e com praticidade. Os resultados foram fantásticos e percebi ali que tudo aquilo poderia se transformar em um negócio próspero” explica Pedro de forma entusiasmada.

Daí, surgiu a HiProtein Alimentos Saudáveis em conjunto com seu irmão Joãozinho Simon, adepto do triathlon entre outros esportes. 

O ponto de partida foi instalar uma unidade lanchonete (modelo food-truck) em frente à uma conceituada academia, cuja repercussão foi tão grande a ponto da HiProtein ser matéria no programa Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Como na maioria dos negócios, principalmente no mundo do empreendedorismo, as dificuldades aparecem e muitas vezes os idealizadores de muitos negócios não tem todas as habilidades e competências necessárias para fazer de uma ideia brilhante, um negócio próspero e perpétuo.

Não foi diferente com a HiProtein que, em um determinado momento, Pedro já não tinha braços suficientes para colocar em prática todas as oportunidades que surgiam à sua frente. “Eu sentia que haviam muitas frentes a serem atacadas para fazer a HiProtein prosperar mas eu, algumas vezes, não sabia exatamente como fazer isso de forma estruturada e consistente.

Foi na Maratona de São Paulo que Pedro se encontra, em meio a mais de 20 mil pessoas e faltando 5 minutos para a largada, com seu primo Renato Simon Pradillas, que já havia atuado como diretor de empresas por 14 anos, coach de negócios e também adepto de corridas de rua e grande simpatizante de alimentação saudável. Ali combinaram um café e colocar o papo em dia já que não se viam há alguns anos.

Neste café, falaram de família, corridas e quando começaram a falar da HiProtein, logo Pedro percebeu que Renato poderia ajudá-lo na reorganização e reestruturação da empresa colocando os ponteiros no lugar. Renato, acostumado a lidar com as dificuldades dos micro e pequenos empresários, não só percebeu que Pedro precisava de ajuda e que também havia um potencial enorme por trás da HiProtein. “Muitas pedras preciosas ainda estão brutas, precisam ser lapidadas, polidas para que possam se transformar em diamantes. Foi assim que vi a HiProtein em um primeiro instante” confessa Renato.

Desde o primeiro café, ficaram muitos dias juntos em imersão no escritório de Renato desenhando e organizando todas as ideias e criando um novo modelo de negócios para a HiProtein, visitaram feiras do mercado fitness e chegaram à conclusão que a sinergia de ideias e a complementação dos talentos e das habilidades seria o caminho para a HiProtein.

Pedro, João e Renato estão se tornando sócios e não só selecionando novos pontos para introduzir o conceito HiProtein através de lanchonetes em academias (o negócio principal da Hiprotein até então) e escolas, como também atender o mercado de food-service, revenda dos produtos HiProtein para empórios butique, atendimento à festas infantis, eventos corporativos e já estão formatando o negócio para franquia-lo devido à procura já existente de simpatizantes pela marca. 

Siga a HiProtein através do Instagram @hiprotein e fique por dentro das grandes novidades que estão por vir.

 

  

 

 

Website: http://www.hiprotein.com.br