A importância dos juros reais na hora de escolher um investimento

Apresentando uma definição bem simples, os “juros” sempre se referem ao rendimento de um dinheiro emprestado. Esse rendimento pode vir de duas maneiras: quando tomamos emprestado dinheiro de um banco e quando emprestamos dinheiro para um banco.

No primeiro caso, os juros são cobrados pelo banco a partir de transações onde a instituição empresta dinheiro para o consumidor. Alguns exemplos de produtos ofertados pelos bancos são os empréstimos e financiamentos.

Já o segundo caso acontece quando uma pessoa empresta dinheiro para o governo através de títulos públicos via Tesouro Direto, para o banco através de certificados de depósito bancário (CDB), para uma financeira através de letras de câmbio (LC), ou para uma empresa através de debêntures. Em todas essas transações, compra-se um título e, em troca, recebe-se o valor emprestado corrigido pela taxa de juros pactuada.

Porém, é importante saber que nem sempre a taxa de juros praticada no mercado, chamada de taxa nominal, é a taxa que realmente faz referência ao valor real do que o investidor irá receber ao final do investimento. A taxa que todo investidor deve conhecer é a taxa de juros real, que será explicada nesse artigo.

O impacto da inflação no cálculo dos juros reais

Para incentivar o reaquecimento da economia do país, o Governo Federal vem diminuindo a taxa básica de juros, a Selic, que diminuiu em outubro de 8,25% para 7,5%. A expectativa é que a Selic encerre 2017 a 7%.

Algumas pessoas que estão começando a investir podem achar que essa redução da Taxa Selic está tornando algumas opções de investimento cada vez menos interessantes. A Selic, por exemplo, é utilizada no cálculo do rendimento do Tesouro Selic e da caderneta de poupança, e anda lado a lado com a taxa DI, que é utilizada na rentabilidade da maioria dos títulos de renda fixa.

Antes de mais nada, é importante explicar que o governo aumenta ou reduz a Taxa Selic por esta ser a principal maneira com que o Banco Central consegue controlar a inflação, já que essa taxa serve como balizador para ofertas de créditos e financiamentos, incentivando ou freando o consumo.

Como a inflação diminui o poder de compra do consumidor, o que realmente importa para o investidor é trabalhar com opções que deem um retorno que supere a inflação. Segundo Francis Wagner, CEO do App Renda Fixa, “quando a economia entra em tendência de queda de juros significa que a inflação está caindo também”.

Como a maioria dos investimentos de renda fixa tem sua rentabilidade baseada na taxa DI (CDI) e esta, por sua vez, acompanha a Taxa Selic, os investimentos passarão a render menos na forma de taxa nominal. Por isso é importante tomar como base a taxa de juros reais, pois nessa taxa se desconta a inflação.

“Quando a inflação estava alta – chegou a bater 10,71% ao ano – a taxa Selic chegou a 14,25% ao ano. Isso dá uma taxa real de 3,2% ao ano”, explica Francis. Atualmente, a inflação está em torno de 2,7% ao ano e a taxa Selic está em 7,5% ao ano. A taxa de juros reais gira em torno de 4,67% ao ano. Isso significa que, mesmo que a Taxa Selic estivesse alta no passado, a inflação também estava e o ganho real não era tão expressivo. E aí fica o alerta para o investidor: uma taxa nominal alta pode ser uma ilusão na hora de investir. “Os brasileiros têm na cabeça que um investimento bom paga em torno de 1% ao mês, mas não adianta nada pagar 1% ao mês de juros nominais se a inflação estiver alta”, conclui.

Veja o seguinte exemplo: se um investimento obedece uma taxa básica de juros de 10% e a inflação no período também foi de 10%, o aumento do índice de preços desvalorizou os ganhos obtidos pelos investimentos de maneira equivalente.

Isso indica que não houve ganhos reais para o investidor. E é a partir dessa ideia que podemos trabalhar um dos conceitos mais importantes para quem investe: a taxa de juros reais. Podemos dizer que a taxa de juros reais é a taxa nominal menos a inflação do período. Entendendo esse conceito, é possível analisar os investimentos que são mais ou menos vantajosos para o seu perfil enquanto investidor, levando em consideração a rentabilidade real de uma aplicação.

Para se calcular a taxa de juros reais, basta utilizar a seguinte fórmula:
Taxa de juros real = (1 + taxa nominal Selic / 1 + taxa da inflação) – 1

Na hora de investir, não se deve apenas optar por realizar ou não um investimento em função das notícias de queda ou aumento da taxa nominal de juros. Essas informações, muitas vezes, não incorporam a inflação no mesmo período.

Nos últimos anos, a queda da taxa nominal de juros vem sendo acompanhada de uma queda na inflação. Desde que se criou uma maior estabilidade monetária no país, o Banco Central só vem intervindo para alterar as taxas de juros na busca por respostas positivas da inflação. Quando essas duas variáveis caminham juntas, não existe nenhum tipo de alteração nos juros reais para o investidor.

Nos investimentos de renda fixa, o risco é muito mais baixo em comparação com o investimento em bolsa ou fundos de investimentos. Os principais produtos de renda fixa são garantidos pelo FGC até limite de R$ 250 mil por CPF e por emissor.
Os principais investimentos dessa linha e que valem a pena ser conhecidos são o CDB, RDB, LCI, LCA, LC, entre outros. Além do risco baixo, o custo para se investir nesse tipo de produto na maioria das vezes é zero, já que grande parte das instituições emissoras e distribuidoras não cobram taxas de administração nem de manutenção de conta.

Outra vantagem dos investimentos em renda fixa é que eles não demandam tanto conhecimento como investimentos em ações. O App Renda Fixa é uma excelente ferramenta para quem quer conhecer um pouco mais dos investimentos dessa linha. O aplicativo oferece uma série de informações sobre os produtos de renda fixa, como rentabilidade bruta e líquida ao ano, no período, no mês ou no dia, e compara com o rendimento da poupança. Além disso, o investidor pode trocar experiências sobre assuntos relacionados ao mercado financeiro com outros investidores e também pode tirar dúvidas com especialistas do mercado em uma espécie de chat privado.

Isso auxilia na hora de ver qual é a melhor rentabilidade e também na hora de fazer o cálculo dos juros reais que serão recebidos ao final do investimento.