A evolução dos sistemas de monitoramento de emergência pessoal para idosos

Os serviços de Tele Assistência ou Monitoramento de Emergência Pessoal  surgiram nos Estados Unidos, na década de 1970, para ajudar a manter seguros os pais e avós que moravam sozinhos em suas casas.

Empresas americanas divulgavam paz de espírito aos familiares e cuidadores. Tudo o que se precisava era uma linha de telefone e uma Central de Monitoramento remoto, para utilizar este serviço.

Quarenta anos depois, em 2011, estes sistemas já estavam bastante avançados no
exterior e chamaram a atenção do empreendedor Gilson Esteves que criou a empresa Tecnosenior com o objetivo de importar equipamentos e distribuir tecnologia de Monitoramento de Emergência Pessoal no Brasil, um país com envelhecimento da população em ritmo acelerado e carente de recursos inovadores para ajudar as famílias a cuidar de seus idosos.

Nos últimos anos, além do botão de emergência, ou pânico, como alguns chamam, muitas novas tecnologias foram agregadas aos equipamentos de monitoramento pessoal para idosos:

Detectores de Queda: se o usuário cair, o sensor de queda alerta automaticamente a Central de Monitoramento para providenciar ajuda, sem que o usuário necessite apertar um botão. Este sensor é incluído no botão de emergência do sistema. Esta tecnologia traz maior tranquilidade para o idoso e seus familiares.

Extensores de voz: a tecnologia de áudio e alto-falante percorreu um longo caminho desde a década de 1970. Atualmente, o Console e equipamentos de Monitoramento incluem microfones poderosos e alto-falantes que garantem que o usuário será ouvido, mesmo não estando perto do Console.

Dispensador de Medicamento: ingerir os medicamentos na dose correta e no horário prescrito pelo médico é essencial em qualquer tratamento. Por isso, o Dispensador traz segurança, conforto e autonomia para o usuário. Este dispositivo pode ser abastecido e programado para até 28 dias. Dessa maneira, previnem-se erros e esquecimentos. Trabalham em conjunto com o PERS que vai anunciar por voz a hora de tomar o remédio. Mensagens podem ser enviadas para um familiar ou cuidador, alertando que o idoso não tomou o medicamento.

Rastreamento GPS: esta poderosa tecnologia encontrou seu caminho nos sistemas de Monitoramento Pessoal. Um telefone celular simples com GPS, somente com um botão de ajuda e sem teclado numérico (para facilitar sua operação) permite a cobertura além do domicílio, dando aos idosos ativos o máximo em liberdade em qualquer lugar, com a opção de pedir ajuda e ser encontrado em situações de emergência. Os familiares autorizados podem a qualquer hora verificar a localização do usuário, através de aplicativos de celular. Também podemos criar “cercas geográficas” para que o sistema avise sempre que o usuário entrar ou sair de um determinado local.

Na medida em que continuam a evoluir, os sistemas de Monitoramento de Emergência Pessoal oferecem, a cada dia, soluções que ajudam os idosos a permanecer com mais segurança em suas casas ou manter sua rotina externa.  Adiar a mudança para um residencial geriátrico, ou postergar a contratação de cuidadores particulares, traz benefícios para o bolso e para a autoestima.

Website: http://tecnosenior.com