Dilma teria barrado compra do Santander pelo BB, diz jornal

Informação é publicada um dia após coluna da Sonia Racy, do jornal O Estado de São Paulo, divulgar interesse da instituição em fatia do banco espanhol

São Paulo – A presidente Dilma Rousseff teria barrado a operação de compra das operações do Santander no país pelo Banco do Brasil. Divulgada pela colunista Sonia Racy, do Estadão, a notícia sustenta que Dilma não quer ver o BB, um banco público, colaborar com a concentração do setor. A bandeira da redução dos juros e aumento da competição entre as instituições bancárias vem sendo abertamente levantada no Planalto.

O rumor de compra de parte do Santander pelo BB foi divulgado pela própria colunista do Estadão nesta quarta-feira. Segundo a nota, o Banco do Brasil poderia fazer uma proposta de compra de menos de 49% do banco, contanto que a transação também envolvesse o Votorantim.

Não é a primeira vez que as especulações em torno da venda do Banco são publicadas pelo veículo. No início de abril, Racy afirmou que uma suposta união entre o Bradesco e Santander havia sido levantada por funcionários do Banco do Brasil. A jornalista acrescentou que, no mercado, a versão da história era que o BB seria o interessado na instituição espanhola.

Em função das especulações, as ações do Banco do Brasil caíram fortemente no pregão de ontem. Procurado por EXAME.com, o Santander não comenta o assunto. O Banco do Brasil, por sua vez, “nega veementemente o rumor”.