Custos elevados e guerra comercial pressionam lucro trimestral da BHP

O lucro subjacente, que exclui ganhos e perdas únicas, subiu para 8,93 bilhões de dólares, apoiado por maior produção e preços altos

Melboure/Londres – As preocupações com o aumento dos custos e o impacto das tensões comerciais entre Estados Unidos e China pesaram sobre as ações da mineradora BHP nesta terça-feira, após um salto de 33 por cento no lucro anual ter ficado aquém das expectativas.

Mas a empresa pagou um dividendo final recorde e disse que espera entregar mais dinheiro aos acionistas, após a conclusão de uma venda de ativos de “shale” nos EUA para a BP.

A BHP, que disse estar buscando uma reestruturação por conta própria, anunciou em julho que a BP compraria por 10,5 bilhões de dólares ativos de petróleo e gás de xisto nos EUA.

O presidente-executivo da BHP, Andrew Mackenzie, disse que a empresa estava “um pouco mais apreensiva” com as perspectivas de curto prazo, dadas as relações comerciais entre China e Estados Unidos.

Para o ano encerrado em 30 de junho, o lucro subjacente, que exclui ganhos e perdas únicas, subiu para 8,93 bilhões de dólares, de 6,73 bilhões de dólares, apoiado por maior produção e preços mais altos, um pouco abaixo de uma estimativa de 9,27 bilhões de dólares, segundo 15 analistas consultados pela Thomson Reuters I/B/E/S.

A BHP pagou um dividendo final recorde de 0,63 dólar por ação, contra 0,43 dólar há um ano.

Incluindo encargos únicos, o lucro da BHP caiu 37 por cento, para 3,71 bilhões de dólares.

A receita total aumentou 20 por cento, para 45,81 bilhões de dólares. A receita da mineração de ferro, a maior divisão da BHP, subiu 1,3 por cento.

Reportagem adicional de Rushil Dutta, em Bangalore