CSN quer BNDES como sócio em compra de siderúrgica no Rio

Para tornar a aquisição da CSA mais atrativa, empresa deve propor participação acionária ao banco, segundo o Valor Econômico

São Paulo – A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) quer atrair o BNDES como sócio na eventual compra da CSA, a siderúrgica construída pelo grupo alemão ThyssenKrupp, em sociedade com a Vale, no Rio de Janeiro. As informações são do jornal Valor Econômico.

Segundo a publicação, a CSN deve apresentar uma proposta de compra da CSA nesta sexta-feira. O plano é convencer o BNDES a não apenas financiar a aquisição, mas também ser um dos sócios do empreendimento.

De acordo com o Valor, o BNDES não está acompanhando o processo de venda da CSA, mas é credor de 2,5 bilhões de reais da empresa. O banco também poderia abrir uma linha de crédito para a CSN, a fim de assegurar sua vitória.

Uma forma de concretizar a operação seria oferecer as ações que a CSN detém da Usiminas como garantia de uma emissão de debêntures conversíveis em ações. Esse lote de papéis é avaliado em 2 bilhões de reais. A CSN já contratou o Bradesco BBI para assessorá-lo na operação.