CSN aumenta participação no capital a Usiminas

Benjamin Steinbruch aumenta posições tanto em ações ordinárias, quanto preferenciais

São Paulo – A CSN anunciou, nesta sexta-feira, uma nova compra de ações da Usiminas. A siderúrgica de Benjamin Steinbruch elevou sua fatia de ações preferenciais para 20,14%, e as ordinárias, para 11,66%. Em meados de setembro, a CSN possuía 11,29% de ordinárias e 15,15% de preferenciais.

Em fato relevante, a CSN afirmou que “continua avaliando alternativas estratégicas com relação a seu investimento na Usiminas.” A empresa não informou quanto foi desembolsado na operação.

O movimento da CSN ocorre no momento em que o grupo siderúrgico argentino Ternium negocia a compra dos 26% de ordinárias em poder da Camargo Corrêa e da Votorantim, segundo antecipou o blog Faria Lima, de EXAME.com.

Apetite

Há tempos, Steinbruch tenta obter uma posição relevante na siderúrgica mineira. Seu argumento é que haveria grandes sinergias entre a CSN e a Usiminas. Aos poucos, a CSN abriu espaço no capital da concorrente, comprando suas ações no mercado.

Seu plano, porém, esbarra na resistência da siderúrgica japonesa Nippon Steel, que já teve problemas com Steinbruch no passado, e não deseja tê-lo como sócio. Para evitá-lo, os japoneses estariam dispostos a buscar outros interessados na compra do bloco da Camargo Corrêa e da Votorantim.

A venda desses papeis para a Ternium praticamente encerraria as possibilidades de Steinbruch se fortalecer na Usiminas.