Critérios

Os questionários tiveram 23 temas, divididos em três grupos, num total de 45 perguntas. Eis os temas, e o que eles procuraram medir:

Parte I – Comportamentos da empresa

1. Disseminação da visão estratégica – o grau de conhecimento que os funcionários dizem ter sobre os planos e metas da empresa

  1. Treinamento contínuo – o quanto os funcionários percebem que a empresa investe no desenvolvimento de seus empregados

  2. Apoio à inovação pela chefia – o quanto a chefia está aberta para ouvir e discutir propostas de mudanças

  3. Foco no futuro – o tempo que os funcionários dedicam a atividades que frutificarão a médio e longo prazo

  4. Foco nos clientes – em que nível os funcionários sentem que as decisões do dia-a-dia da empresa estão calcadas nas reais necessidades dos clientes

  5. Responsabilidade Social, Ambiental e Ética – o quanto as decisões da empresa levam em consideração os impactos na sociedade e no meio ambiente

  6. Tratamento dispensado às pequenas iniciativas – como a empresa se comporta em relação às idéias de pequeno impacto ou de menores dimensões (em oposição a prestar atenção apenas em projetos grandiosos)

    Parte II – Processo de trabalho

  7. Poder de decisão dos grupos – o grau de autonomia das equipes de trabalho montadas para a discussão de temas específicos

  8. Obtenção de autorizações – a eficiência do processo de obtenção de permissões para prosseguir no desenvolvimento de projetos

  9. Tempo e recursos disponíveis – quanto tempo e recursos são disponibilizados para o desenvolvimento de idéias e projetos que não são os do dia-a-dia

  10. Auto-seleção – o nível de independência dos funcionários para participar de grupos de trabalho e discussão de novas idéias

  11. Repasse de responsabilidades e atribuições – a forma como os novos projetos são transferidos dos “pais da idéia” para a estrutura formal da empresa

  12. Cruzando Barreiras – as alternativas disponíveis aos empreendedores para transpor barreiras internas à inovação

  13. Comunidades – o quanto os funcionários sentem que podem contar com seus colegas na solução de problemas e desenvolvimento de ações conjuntas

  14. Caminhos internos – a variedade de opções que o funcionário tem para resolver problemas ligados à inovação

  15. Transparência e Verdade – quanto o ambiente incentiva as relações e atitudes honestas e positivas

  16. Qualidade do ambiente – se o clima de trabalho propicia conforto emocional e profissional

  17. Conforto com as mudanças – o grau com que as mudanças são compartilhadas com os funcionários que serão afetados por elas

  18. Memória organizacional – se a empresa tem um registro eficaz das idéias inovadoras e do aprendizado decorrente delas

Parte II – Recompensas à inovação

  1. Tolerância a erros e fracassos – o tratamento que a empresa dá aos erros dos funcionários

  2. Critérios de Avaliação – o grau de formalização e eficiência dos critérios usados para registrar e medir as iniciativas inovadoras

  3. Apoio aos intra-empreendedores – a percepção dos funcionários quanto ao tratamento que a empresa dá aos empreendedores internos

  4. Medições e recompensas – a percepção dos funcionários quanto ao reconhecimento e remuneração da empresa pelas iniciativas implementadas