Credit Suisse retoma lucro no 4º trimestre

Estimulado pelos mercados de ações em ascensão ao redor do mundo, a receita no banco de investimento do Credit Suisse, mais do que dobrou

Zurique – O Credit Suisse disse nesta quinta-feira que os mercados robustos e a redução de custos ajudaram-o a voltar à lucratividade no quarto trimestre de 2012, resultados que reforçam a dependência contínua do banco em operações de investimento bancário para impulsionar o desempenho.

Estimulado pelos mercados de ações em ascensão ao redor do mundo, a receita no banco de investimento do Credit Suisse, mais do que dobrou, para 2,66 bilhões de francos suíços. O banco também informou um aumento acentuado das receitas de venda de produtos de renda fixa e “trading”, assim como de serviços de consultoria.

O Credit Suisse divulgou um lucro líquido no quarto trimestre de 397 milhões de francos suíços, comparado com um prejuízo líquido no ano anterior. A receita, que inclui receita de juros, taxas e rendimentos comerciais, aumentou 29% para 5,8 bilhões de francos suíços.

O segundo maior banco da Suíça em ativos também disse que está progredindo em direção à implementação de padrões rigorosos para capitais, com o objetivo de fortalecer sua capacidade para absorver prejuízos, atendendo critérios estabelecidos pelos reguladores globais e nacionais.

O Credit Suisse declarou que cortou ativos ponderados pelo risco (“risk-weighted”) em 55 bilhões de francos suíços em 2012 e alcançou 2 bilhões de francos suíços em redução de custos.

O banco elevou sua meta de redução de custos para 4,4 bilhões de francos suíços, a partir de uma meta anterior de 4 bilhões de francos suíços, até 2015.


“Nós tomamos medidas significativas para adaptar as nossas empresas e nossa organização a novas exigências regulatórias, mudanças nas demandas do cliente e do ambiente de mercado atual,” afirmou o executivo-chefe, Brady Dougan, em um comunicado.

Os resultados do Credit Suisse ressaltam as diferenças de estratégia que o diferenciam do seu concorrente UBS.

O Credit Suisse saiu da crise financeira em melhor forma do que o UBS e continuou a perseguir investimentos bancários, apesar das novas exigências rígidas de capital que tornam mais difícil lucrar com essas empresas.

O banco, que tem sede em Zurique, não está revisando drasticamente suas operações de alto risco do banco de investimento, que são amplamente vistas como um dos seus pontos fortes.

Em contraste, o UBS – que registrou um prejuízo no quarto trimestre, principalmente, devido ao resultado do acordo de manipulação de taxas – é pressionado seu banco de investimento e planeja sair efetivamente do negócio de renda fixa. As informações são da Dow Jones.