Credit Suisse pagará US$400 mi para resolver processos

O acordo evita um julgamento em tribunal federal cujo início era agendado para daqui a duas semanas

Nova York – O Credit Suisse aceitou pagar pelo menos 400 milhões de dólares para resolver processos de investidores a respeito do papel do banco suíço na captação de recursos para uma companhia de financiamento no setor de saúde, que desmoronou num escândalo de fraude de 2,9 bilhões de dólares há mais de uma década.

O acordo evita um julgamento em tribunal federal cujo início era agendado para daqui a duas semanas. O processo deriva de atividades da National Century Financial Enterprises, que pediu concordata em novembro de 2002.

Investidores acusaram o Credit Suisse de vender notas da National Century e defender a qualidade de seu crédito apesar de estar ciente de que a empresa fez mau uso dos recursos de investidores, ao mesmo tempo ignorando sinais de que o co-fundador e presidente-executivo da National Century, Lance Poulsen, arquitetou a fraude.

“Esse acordo representa uma resolução completa e final desse litígio de investidores contra o Credit Suisse”, disse o Credit Suisse em comunicado nesta quinta-feira.

O Credit Suisse pagará 400 milhões de dólares a um grupo de queixosos que inclui o Estado de Arizona, AllianceBernstein e a unidade Pimco, da Allianz, disse sua advogada, Kathy Patrick do escritório Gibbs & Bruns, em entrevista ao telefone.

Além do acordo de 400 milhões de dólares com os clientes do Gibbs & Bruns, o Credit Suisse também acertou resoluções separadas com o Lloyds e a MetLife.

O porta-voz do Lloyds Ed Peter confirmou que houve um acordo mas disse que os termos são confidenciais. O porta-voz da MetLife Christopher Breslin disse que sua companhia chegou a uma “resolução amigável” no caso, acrescentando que está feliz em dar fim a esse assunto.

O Credit Suisse disse que a resolução vai reduzir seu lucro líquido no quarto trimestre, que já havia sido anunciado, em 134 milhões de francos suíços (141 milhões de dólares), de 397 milhões de fracos suíços para 263 milhões.