Corretora Ágora, do Bradesco, renasce para brigar com a XP

Casa de investimentos terá 813 mil clientes e R$ 50 bilhões em ativos sob custódia. Bradesco considera fazer IPO da corretora

São Paulo – O Bradesco vai retomar a operação da corretora Ágora que voltará a ser a plataforma de investimentos para os clientes pessoas físicas. A ideia é ganhar fatia de mercado e, depois de três anos, superar a líder do segmento, a XP Investimentos, que atualmente tem 50% de participação em total de ativos de renda variável sob custódia.

A Ágora renasce com 813.000 clientes, dos quais 150.000 são ativos, e 50 bilhões de reais em ativos de renda variável sob custódia. Isso faz com que a corretora tenha uma fatia de mercado de 16%, o que a coloca na terceira colocação do ranking, atrás da corretora do Itaú, com 17%.

”Acreditamos que teremos um cenário em que cada uma delas (corretoras) terá um terço em três anos. Depois, vemos a possibilidade de liderar o mercado”, afirma Leandro Miranda Araújo, diretor executivo do Bradesco.

O diferencial não vai ser preço, segundo Cassiano Scarpelli, vice-presidente do Bradesco. “Isso é commodity. O atendimento e a oferta de produtos que geram alfa (rentabilidade) para os clientes é que farão a diferença”, diz. A Ágora foi uma corretora muito forte na primeira década dos anos 2000. “Ficamos muito tempo sem investir na plataforma. Recentemente, investimos 150 milhões de reais para trocar todo o chassi”, acrescenta.

O caminho natural é que em algum momento a Ágora abra capital. “O IPO (oferta inicial de ações, em inglês) vai depender do crescimento da marca. Mas vemos fintechs e corretoras trilhando esse caminho”, diz Araújo. “Mas não é o momento de pensar nisso agora”, acrescenta Scarpelli.

Outra possibilidade na mesa é o IPO da Next, banco digital do Bradesco, que hoje possui 1,5 milhão de clientes e tem meta de atingir 2 milhões de clientes até o fim do ano. Esses correntistas passarão a contar com a plataforma de investimentos da Ágora a seu dispor. “Vamos desacoplar o Next da nossa operação no primeiro trimestre de 2020”, afirma Otávio de Lazari, presidente do Bradesco, durante reunião da Apimec.