Copa impulsiona patrocínios das Olimpíadas para US$ 1 bilhão

O sucesso da Copa do Mundo ajudou os organizadores das Olimpíadas do Rio de Janeiro a superar meta de receita com patrocínio neste ano

Rio de Janeiro – O sucesso do Brasil como sede da Copa do Mundo ajudou os organizadores dos Jogos Olímpicos de 2016, que acontecerão no Rio de Janeiro, a superar a meta de receita com patrocínio neste ano em 7 por cento, ou R$ 50 milhões (US$ 20 milhões).

Renato Ciuchini, diretor comercial do Comitê Rio 2016, disse que os contratos no valor de R$ 800 milhões com 19 patrocinadores serão finalizados neste ano, o que leva a receita de patrocínio para os jogos a R$ 2,6 bilhões, 85 por cento do total necessário proveniente do apoio comercial. Ele disse que sete contratos foram assinados nos 30 dias posteriores à Copa.

Os patrocinadores e organizadores estavam preocupados de que os protestos contra os gastos excessivos, que aconteceram em todo o Brasil em 2013, durante um campeonato de aquecimento para a Copa do Mundo, eclodissem novamente durante o evento esportivo mais assistido do mundo. A atração futebolística ocorreu sem incidentes relevantes e foi aclamada como um sucesso pelos torcedores e pelos participantes.

“Os patrocinadores que realmente apostaram no sucesso da Copa puderam colher bons frutos”, disse Ciuchini aos repórteres na sede do Comitê Rio 2016. “E os patrocinadores que se abstiveram? Eles sofreram um pouco porque entraram tarde demais na jogada e não conseguiram ativar”.

Os organizadores estão tentando vincular os patrocinadores aos primeiros Jogos Olímpicos da América do Sul em um momento de retração da economia brasileira.

O PIB vai subir 0,3 por cento em 2014, de acordo com os analistas consultados pela Bloomberg, o pior desempenho desde a recessão de 2009 e está abaixo da média latino-americana pelo quarto ano consecutivo.

Renda destrinchada

Equivalente a 51 por cento do total, o patrocínio é o maior componente do orçamento de R$ 7 bilhões para a organização dos jogos. O restante é constituído pela venda de ingressos, hospedagem e mercadorias e pelo pagamento realizado pelo Comitê Olímpico Internacional.

Os Jogos de 2012, em Londres, arrecadaram 700 milhões de libras (US$ 1,1 bilhão) dos patrocinadores, um recorde para o evento. Ciuchini disse que o Rio já equiparou esse valor, considerando-se as taxas de câmbio e de inflação à época da última edição dos Jogos Olímpicos.

Embora os organizadores estejam superando as expectativas, eles não conseguiram assinar contratos com algumas das maiores empresas do Brasil nem em setores que tradicionalmente deram os maiores patrocínios aos jogos.

“Estamos indo muito bem sem eles”, disse Ciuchini, mencionando companhias aéreas, de commodities e de serviços como patrocinadores habituais das Olimpíadas que não assinaram. Os organizadores disseram em uma entrevista em março que estavam negociando com a Vale SA, que tem sede no Rio de Janeiro e é a maior produtora de minério de ferro do mundo. A Vale não se alistou.

Ciuchini disse que as negociações com as maiores companhias do país estão em andamento, embora provavelmente nenhuma delas assine um contrato de parceiro de primeiro nível, a categoria de patrocínio mais alta.

“Agora é tarde”, disse ele.