Controle único de TIM e Vivo não seria bem-vindo

Segundo conselheiro da Anatel, eventual controle das operadoras pela Telefónica geraria uma "concentração muito forte e não bem-vinda"

O eventual controle de Vivo e TIM Participações pelo grupo espanhol Telefónica geraria uma “concentração muito forte e não bem-vinda” no mercado brasileiro, disse o conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) Marcelo Bechara, nesta quarta-feira.

O conselheiro frisou que as informações sobre o aumento de participação da Telefónica –dona da Vivo– na Telecom Italia, controladora da TIM, ainda não foram oficializadas à Anatel, mas disse que, com base no que já foi divulgado, uma eventual consolidação no Brasil “não faria bem ao mercado”.

Na terça-feira, fontes da Anatel e o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, já haviam dito que as autoridades brasileiras não devem permitir que Vivo e TIM –líder e vice-líder do mercado móvel brasileiro, respectivamente– estejam sob o mesmo controle.