Conselhos de administração desconhecem riscos de empresas

Pesquisa da consultoria McKinsey mostra que os conselheiros acompanham mais de perto o desempenho financeiro das companhias

A maioria dos conselhos de administração ainda demonstra pouco conhecimento dos riscos a que estão expostas as companhias que gerenciam, sejam elas públicas ou privadas. A avaliação é de executivos que lidam, direta ou indiretamente, com os conselheiros durante sua rotina de trabalho e foi detectada por uma pesquisa da consultoria americana McKinsey com 1 468 profissionais em diversos países. Do total, apenas 18% afirmaram que os conselheiros de suas empresas possuíam total consciência dos riscos envolvidos em seu negócio.

Na opinião dos executivos que lidam com essa instância decisória, os conselhos apresentam melhor desempenho nas questões ligadas à área financeira – 48% dos entrevistados afirmaram que seus conselheiros apresentam total ciência das condições financeiras das companhias. Em segundo lugar, vem o domínio sobre questões estratégicas: 34% dos participantes destacaram esta como a área de melhor domínio dos conselheiros.

Embora baixa, a noção dos conselhos sobre os riscos de seus negócios vem crescendo. Pesquisa similar da McKinsey, realizada no ano passado, mostrou que apenas 11% dos entrevistados consideravam seus conselheiros conscientes desses temas. O mesmo percentual se aplicava às questões de estratégia.

Visões distintas

A avaliação dos executivos subordinados aos conselhos destoa da visão que os conselheiros possuem de seu próprio desempenho. No mesmo trabalho, a consultoria detectou que 75% dos membros dessas instâncias acreditam deter um bom ou completo domínio sobre os riscos envolvidos no negócio, 12 pontos percentuais acima dos 63% da pesquisa anterior.

Dominar as estratégias da companhia que comandam é uma habilidade declarada por 84% dos conselheiros entrevistados, contra 75% no ano passado. Já demonstrar sólido conhecimento sobre as finanças da empresa foi citado por nove entre dez participantes.