Conjuntura afetou lucro da Petrobras, diz Gabrielli

José Sergio Gabrielli explicou o balanço em evento de despedida

Rio de Janeiro – O lucro da Petrobras caiu em 2011 por conta de problemas conjunturais que limitaram a produção e reduziram a capacidade da companhia em investir, disse nesta sexta-feira José Sergio Gabrielli, presidente da companhia, em evento de despedida de parte da diretoria.

“Os problemas que enfrentamos são conjunturais”, disse Gabrielli à jornalistas.

Na noite de quinta-feira, a Petrobras anunciou lucro líquido de 5,05 bilhões de reais no quarto trimestre de 2011, queda de 52,4 por cento ante o mesmo período do ano anterior. No ano de 2011, o resultado foi de 33,3 bilhões de reais, 5 por cento inferior ao lucro de 2010.

A queda nos ganhos foi diretamente influenciada pelo aumento dos custos operacionais e das importações de derivados de petróleo, apesar da alta dos preços da commodity ter aumentado a receita da companhia.

Segundo Gabrielli, a companhia atingiu seu limite de capacidade da produção de gasolina, gás, diesel e nafta, o que forçou o aumento das importações, por conta do crescimento da demanda.

Além disso, o executivo afirmou que a cadeia de fornecimento de equipamentos não se expandiu o suficiente para que a companhia pudesse realizar os devidos investimentos, que ficaram abaixo do esperado em 2011.

Segundo Gabrielli, que assumiu a presidência da Petrobras em 2005, os problemas com fornecimento de combustível não serão resolvidos até 2013. “Estamos definitivamente em um período de transição”, disse ele.

Gabrielli será substituído pela atual diretora de Gás e Energia, Graça Foster, com evento de posse marcado para a próxima segunda-feira.

Produção e exploração

De acordo com Almir Barbassa, diretor financeiro da Petrobras que participava do mesmo evento, a companhia enfrentou um ano muito difícil em produção em 2011, mas aumentou o seu índice de sucesso em exploração.

O aumento do índice de sucesso foi para 59 por cento em 2011, ante 57 por cento em 2010, disse Barbassa.