Conheça a Delta, nova sócia da Gol no Brasil

Companhia americana comprou participação minoritária da aérea brasileira por US$ 100 milhões

São Paulo – A Gol anunciou a venda de participação minoritária à Delta por 100 milhões de dólares, nesta quarta-feira. A operação é a segunda fechada pela companhia americana, neste ano, com uma empresa estrangeira de aviação.

O movimento foi considerado positivo, avaliam analistas que acompanham este setor. Segundo relatório do banco Bradesco, a venda de capital, mesmo que pequeno, vai permitir à aérea brasileira ampliar sua plataforma de atuação.

No final do ano passado, a Delta havia anunciado plano de investimento de mais de 2 bilhões de dólares até 2013 para melhorar seu desempenho no mercado global de aviação.

No terceiro trimestre deste ano, a companhia foi uma das únicas do mercado americano a acumular lucro, com alta de mais de 50% dos ganhos na comparação com o mesmo período do ano anterior.

A companhia americana também segue como a maior do mundo no quesito passageiros-quilômetros transportados. Veja, a seguir, os movimentos de negócios mais recentes anunciados pela nova sócia da Gol, no Brasil:

Investimentos

Os 100 milhões de dólares investidos para comprar uma fatia na Gol fazem parte do plano de investimento da companhia americana, anunciado no ano passado. Até 2013, a Delta vai investir mais de 2 bilhões de dólares.

Além de melhorar sua performance no mercado global, o montante será usado pela companhia para melhorar a experiência de voos de seus clientes. Parte dos investimentos irá para ampliação de assentos na primeira classe.

Foco na América Latina

Em agosto deste ano, a Delta comprou por 65 milhões de dólares participação na companhia mexicana Aeromexico. A operação permitiu à companhia americana aprofundar sua aliança em voos entre os países de origem.


A aquisição de uma fatia na Gol vai também permitir que a Delta amplie sua atuação no Brasil, Caribe e América do Sul.

Tarifas mais altas

As empresas de aviação globais, no terceiro trimestre, patinaram. A Delta, no entanto, na contramão do mercado conseguiu driblar os altos custos com combustíveis e somar lucro 51% maior no período na comparação com o mesmo trimestre de 2010. Os ganhos totalizaram 549 milhões dólares.

Na ocasião, Richard H. Anderson, presidente-executivo da companhia, chegou a afirmar que as tarifas com preços mais altos cobradas pela Delta foram suficientes para cobrir o custo com combustíveis, que subiu 1 bilhão de dólares no terceiro trimestre.

Renovação da frota

Recentemente, a Delta encomendou 100 aviões Boeing  737-900, que devem ser entregues até 2018. O valor do contrato foi avaliado em 8,5 bilhões de dólares, de acordo com o preço de tabela das aeronaves.

A compra das novas aeronaves tem como objetivo renovar parte da frota atual da companhia, composta por 700 aviões.