Como a saída do Reino Unido da UE ajudou a Burberry

Desde a decisão do referendo a favor do Brexit, e a queda da libra esterlina, muitos chineses estão indo fazer compras nas lojas da marca em Londres

São Paulo – A decisão do Reino Unido pela saída da União Europeia, em junho, pode não ter agradado boa parte das pessoas do mundo – mas os chineses parecem ter aprovado a ideia.

Ou pelo menos eles estão tirando bastante proveito da queda da moeda inglesa desde então para fazer compras e mais compras no país de produtos de luxo, como os da Burberry.

O faturamento mundial da companhia no primeiro semestre subiu 5%, segundo divulgou a empresa, para 1,16 bilhões de libras esterlinas, o equivalente a 1,42 bilhões de dólares.

O aumento nas vendas é explicado, em parte, pela invasão de compradores estrangeiros no Reino Unido depois do referendo pelo Brexit, decidido em 23 de junho.

A libra perdeu quase um quinto de seu valor a partir da data. Em contrapartida, explicou Carol Fairweather, diretor financeiro da Burberry, as vendas da marca em lojas do Reino Unido para clientes chineses aumentaram 20%.

Para a companhia, a expectativa é que a queda da moeda dos britânicos deve adicionar pelo menos 125 milhões de libras esterlinas para o lucro ajustado no balanço deste ano.