Cleveland-Cliffs pode se associar ao projeto da MMX no Amapá

Mineradora americana negocia compra da fatia de 30% que a Centennial Asset Mining Fund detém no projeto

A MMX pode contar com um novo sócio para desenvolver o projeto integrado de mineração e siderurgia do Amapá, um dos três sistemas que a mineradora brasileira pretende implantar nos próximos anos – os outros dois são os sistemas Minas-Rio e o Corumbá. O interessado em participar da operação é a mineradora americana Cleveland-Cliffs. A empresa negocia, com a Centennial Asset Mining Fund, a compra da totalidade do capital da Centennial Amapá. A Centennial Amapá possui 30% de participação na MMX Amapá.

Pelo negócio, a Cleveland-Cliffs deve pagar 133 milhões de dólares em dinheiro à Centennail Asset. Além disso, a mineradora americana também se comprometerá a investir, proporcionalmente ao seu capital, no desenvolvimento do projeto da MMX no Amapá, orçado em 275 milhões de dólares. O pólo deverá produzir 6,5 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.

A conclusão do negócio está sujeita ainda ao término da auditoria da Cleveland-Cliffs nos números da Centennial Amapá. A empresa também espera concluir as negociações para a linha de financiamento que sustentará seus investimentos no projeto amapaense. O conselho de administração da MMX aprovou a operação sem ressalvas.