Clearwire quer forçar Sprint a melhorar oferta

A Sprint detém mais de 50 % da Clearwire e fez uma proposta para adquirir a outra fatia, de cerca de 49 %, por 2,97 dólares por ação, num total de US$ 2,2 bilhões

Nova York - Minoritários da Clearwire devem recusar uma oferta de aquisição da <strong><a href="https://exame.abril.com.br/topicos/sprint-nextel" target="_blank">Sprint </a></strong>na próxima semana, forçando a terceira maior companhia de serviços de telefonia móvel do país a melhorar a oferta pelo controle do valioso espectro da Clearwire.</p>

A Sprint detém mais de 50 % da Clearwire e fez uma proposta para adquirir a fatia remanescente, de aproximadamente 49 %, por 2,97 dólares por ação, num total de 2,2 bilhões de dólares. Para que a transação seja bem-sucedida, é necessária a aprovação de mais de metade dos acionistas minoritários numa reunião extraordinária em 21 de maio.

Investidores que detêm cerca de 31 % das ações públicas têm dito em comunicados ou entrevistas à Reuters que não estão satisfeitos com a oferta. Eles incluem: Mount Kellett, Highside, Glenview, Chesapeake.

“Não há como a oferta ser aprovada, a menos que eles aumentem o preço”, disse o sócio do Taran Investment, Chris Gleason, cuja empresa administra mais de 1 milhão de ações da Clearwire. Ele disse que a oferta da Sprint será descartada e que 5 a 7 dólares por ação é uma faixa de preços mais justa.

O papel da Clearwire fechou a 3,23 dólares nesta quinta-feira, e tem sido negociado acima do preço de oferta da Sprint desde o início de janeiro.

“Eu fiaria surpreso se houvesse muitos investidores votando a favor de arcarem com perdas”, disse um gestor de portfólio de um dos 20 maiores acionistas da Clearwire, que não tem autorização para falar à mídia.

“Não é lógico assumir que qualquer um vai votar a favor do acordo com a ação sendo negociada a esses preços”, disse o gestor, acrescentando que uma proposta de 4,50 dólares por ação seria “muito mais justa”.